Pesquisa personalizada

domingo, 23 de junho de 2013

LIÇÃO 13, EU E MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR (Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva)



TEXTO ÁUREO"Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais: se os deuses a quem serviram vossos pais, que estavam dalém do rio, ou os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR"  (Js 24.15).
 

VERDADE PRÁTICACom a graça de Deus, a família cristã vencerá os desafios da vida.
 

LEITURA DIÁRIASegunda - Gn 7.1 A salvação de uma família
Terça - Ef 6.4 Doutrina e conselho para filhos
Quarta - Pv 22.6 Instruindo o filho no caminho do Senhor
Quinta - Êx 20.12 O primeiro mandamento com promessa
Sexta - 2 Tm 3.14-17 A perfeita instrução para uma vida feliz
Sábado - 2 Pe 3.18 Crescendo na graça e no conhecimento
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Josué 24.14-18,22,24
14 Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com sinceridade e com verdade, e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais dalém do rio e no Egito, e servi ao SENHOR. 15 Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais: se os deuses a quem serviram vossos pais, que estavam dalém do rio, ou os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR. 16
Então, respondeu o povo e disse: Nunca nos aconteça que deixemos o SENHOR para servirmos a outros deuses; 17 porque o SENHOR é o nosso Deus; ele é o que nos fez subir, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da servidão, e o que tem feito estes grandes sinais aos nossos olhos, e nos guardou por todo o caminho que andamos e entre todos os povos pelo meio dos quais passamos. 18 E o SENHOR expeliu de diante de nós a todas estas gentes, até ao amorreu, morador da terra; também nós serviremos ao SENHOR, porquanto é nosso Deus.
 
22 E Josué disse ao povo: Sois testemunhas contra vós mesmos de que vós escolhestes o SENHOR, para o servir. E disseram: Somos testemunhas. 23 Agora, pois, deitai fora os deuses estranhos que há no meio de vós: e inclinai o vosso coração ao SENHOR, Deus de Israel. 24 E disse o povo a Josué: Serviremos ao SENHOR, nosso Deus, e obedeceremos à sua voz.
 
24.15 EU E A MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR. No processo da salvação por Deus concedida, está o assunto da escolha individual. Depende de cada um decidir a quem servir continuamente.Como no caso de Josué e dos israelitas, permanecer em Deus não é um ato isolado no tempo e ocorrido uma única vez (cf. 1.16-18; Dt 30.19,20); precisamos vez por outra reafirmar nossa decisão feita de permanecer na fé e em obediência. A reafirmação de decisões justas, feitas pelo crente, inclui temor ao Senhor, lealdade à verdade, a obediência sincera e renúncia ao pecado e todos os prazeres a ele associados (vv. 14-16). Deixar de servir e amar ao Senhor resultará depois em julgamento e destruição (v. 20; 23.11-13).
24.16 NUNCA NOS ACONTEÇA QUE DEIXEMOS O SENHOR. A promessa do povo, de servir somente o Senhor, foi cumprida, mas somente enquanto Josué viveu, juntamente com os anciãos daqueles dias. Pouco tempo depois da morte de Josué, o povo deixou o Senhor e começou a servir a outros deuses (Jz 2.11-19).
ASSIM, FEZ JOSUÉ CONCERTO... COM O POVO. A renovação do concerto entre o Senhor e Israel importou num duplo compromisso.
(1) Deus prometeu cuidar do seu povo, e
(2) os israelitas comprometeram-se a servir unicamente ao Senhor Deus. Foi um pacto permanente e mútuo entre Israel e Deus. Segundo o novo concerto mediante a morte de Cristo, o crente também se compromete a seguir a Cristo através do arrependimento, fé e obediência. Ele, por sua vez, comprometeu-se a ser nosso Senhor e Salvador e a nos conduzir ao lar celestial, à presença do Pai. Assim como aconteceu a Israel no AT, primeiramente Deus veio até nós com misericórdia e graça e estabeleceu as condições do novo concerto. Nós, como Israel dos tempos antigos, devemos viver segundo os princípios do concerto.
 
COMENTÁRIOS DA Lição 13- Família DE 2004 -  E serás salvo, tu e a tua casa
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao13-familia-eserassalvotueatuacasa.htm
 
Texto Áureo: “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa” (At 16.31).
FÉ SALVÍFICA. A fé em Jesus Cristo é a única condição prévia que Deus requer do homem para a salvação. A fé não é somente uma confissão a respeito de Cristo, mas também uma ação dinâmica, que brota do coração do crente que quer seguir a Cristo como Senhor e Salvador (cf. Mt 4.19; 16.24; Lc 9.23-25; Jo 10.4, 27; 12.26; Ap 14.4).
(1) O conceito de fé no NT abrange quatro elementos principais: (a) Fé significa crer e confiar firmemente no Cristo crucificado e ressurreto como nosso Senhor e Salvador pessoal (ver Rm 1.17). Importa em crer de todo coração (At 8.37; Rm 6.17; Ef 6.6; Hb 10.22), ou seja: entregar a nossa vontade e
a totalidade do nosso ser a Jesus Cristo tal como Ele é revelado no NT.(b) Fé inclui arrependimento, i.e., desviar-se do pecado com verdadeira tristeza (At 17.30; 2Co 7.10) e voltar-se para Deus através de Cristo. Fé salvífica é sempre fé mais arrependimento (At 2.37,38; ver Mt 3.2).
(c) A fé inclui obediência a Jesus Cristo e à sua Palavra, como maneira de viver inspirada por nossa fé, por nossa gratidão a Deus e pela obra regeneradora do Espírito Santo em nós (Jo 3.3-6; 14.15, 21-24; Hb 5.8,9). É a “obediência que provém da fé” (Rm 1.5). Logo, fé e obediência são inseparáveis (cf. Rm 16.26). A fé salvífica sem uma busca dedicada da santificação é ilegítima e impossível.(d) A fé inclui sincera dedicação pessoal e fidelidade a Jesus Cristo, que se expressam na confiança, amor, gratidão e lealdade para com Ele. A fé, no seu sentido mais elevado, não se diferencia muito do amor. É uma atividade pessoal de sacrifício e de abnegação para com Cristo (cf. Mt 22.37; Jo 21.15-17; At 8.37; Rm 6.17; Gl 2.20; Ef 6.6; 1Pe 1.8).
(2) A fé em Jesus como nosso Senhor e Salvador é tanto um ato de um único momento, como uma atitude contínua para a vida inteira, que precisa crescer e se fortalecer (ver Jo 1.12). Porque temos fé numa Pessoa real e única que morreu por nós (Rm 4.25; 8.32; 1Ts 5.9,10), nossa fé deve crescer (Rm 4.20; 2Ts 1.3; 1Pe 1.3-9). A confiança e a obediência transformam-se em fidelidade e devoção (Rm 14.8; 2Co 5.15); nossa fidelidade e devoção transformam-se numa intensa dedicação pessoal e amorosa ao Senhor Jesus Cristo (Fp 1.21; 3.8-10; ver Jo 15.4; Gl 2.20).
Esta Fé atinge toda nossa família, para sua salvação também, desde que também se arrependam de seus pecados e recebam a JESUS CRISTO como Senhor e Salvador de suas almas.
 
Verdade Prática: Deus quer salvar toda a nossa casa, restaurando por completo todos os membros de nossa família.
 
 
Leitura Diária:
Segunda Gn 7.1-7 A salvação da família de Noé 
1 Depois, disse o SENHOR a Noé: Entra tu e toda a tua casa na arca, porque te hei visto justo diante de mim  nesta geração. 2 De todo animal limpo tomarás para ti sete e sete: o macho e sua fêmea; mas dos animais que não são limpos, dois: o macho e sua fêmea. 3 Também das aves dos céus sete e sete: macho e fêmea, para se conservar em vida a semente sobre a face de toda a terra. 4 Porque, passados ainda sete dias, farei chover sobre a terra quarenta dias e quarenta noites; e desfarei de sobre a face da terra toda substância que fiz. 5 E fez Noé conforme tudo o que o SENHOR lhe ordenara. 6 E era Noé da idade de seiscentos anos, quando o dilúvio das águas veio sobre a terra. 7 E entrou Noé, e seus filhos, e sua mulher, e as mulheres de seus filhos com ele na arca, por causa das
águas do dilúvio. 
O DILÚVIO DAS ÁGUAS VEIO SOBRE A TERRA. O dilúvio foi o castigo divino universal sobre um mundo ímpio e impenitente. O apóstolo Pedro refere-se ao dilúvio para relembrar a seus leitores que Deus outra vez julgará o mundo inteiro no fim dos tempos, mas agora por fogo (2 Pe 3.10). Tal julgamento resultará no derramamento da ira de Deus sobre os ímpios, como nunca houve na história (Mt 24.21). Deus conclama os crentes atuais, assim como Ele fez com Noé na antiguidade, para avisarem os não-salvos sobre esse dia terrível e instar com eles para que se arrependam dos seus pecados, e se voltem para Deus por meio de Cristo, e assim sejam salvos
 
Terça  Gn 45.7 A salvação da família de José
7 Pelo que Deus me enviou diante da vossa face, para conservar vossa sucessão na terra e para guardar-vos em vida por um grande livramento.
45.7 PARA CONSERVAR VOSSA SUCESSÃO. Deus operou através de José para a preservação do povo do concerto, do qual descenderia o Cristo. Note-se que, embora Cristo viesse da linhagem de Judá e não da de José, Deus usou este para preservar a linhagem da qual viria Cristo. José, portanto, foi um antecessor espiritual de Cristo, algo muito mais importante do que ser ancestral físico (Rm 4.12-16).

Quarta Êx 12.23 A salvação da família israelita no Egito
23 Porque o SENHOR passará para ferir aos egípcios, porém, quando vir o sangue na verga da porta e em ambas as ombreiras, o SENHOR passará aquela porta e não deixará ao destruidor entrar em vossas casas para vos ferir.
A refeição da Páscoa assinalava o início da Festa dos Pães Asmos (vv. 6,18), que prenunciava a importância da fé no Cordeiro sacrificial e a obediência a Ele. Os fiéis deviam sinceramente arrepender-se do pecado e viver para Deus, em humilde gratidão.

Quinta Js 6.25 A salvação da família de Raabe
25 Assim, deu Josué vida à prostituta Raabe, e à família de seu pai, e a tudo quanto tinha; e habitou no meio de Israel até ao dia de hoje, porquanto escondera os mensageiros que Josué tinha enviado a espiar a Jericó.
e Salmom gerou de Raabe a Boaz, e Boaz gerou de Rute a Obede, e Obede gerou a Jessé. 6 Jessé gerou ao rei Davi, je o rei Davi gerou a Salomão da que foi mulher de Urias. 7 Salomão gerou a Roboão, e Roboão gerou a Abias, e Abias gerou a Asa, 8 e Asa gerou a Josafá, e Josafá gerou a Jorão, e Jorão gerou a Uzias, 9 e Uzias gerou a Jotão, e Jotão gerou a Acaz, e Acaz gerou a Ezequias. 10 Ezequias gerou a Manassés, me Manassés gerou a Amom, e Amom gerou a Josias, 11 e Josias gerou a Jeconias e a seus irmãos na deportação para a Babilônia. 12 E, depois da deportação para a Babilônia, Jeconias gerou a Salatiel, e Salatiel gerou a Zorobabel,13 e Zorobabel gerou a Abiúde, e Abiúde gerou a Eliaquim, e Eliaquim gerou a Azor, 14 e Azor gerou a Sadoque, e Sadoque gerou a Aquim, e Aquim gerou a Eliúde, 15 e Eliúde gerou a Eleazar, e Eleazar gerou a Matã, e Matã gerou a Jacó, 16 e Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu JESUS, que se chama o Cristo. Da Prostituta Raabe veio a nascer JESUS , o salvador.

Sexta Lc 19.1-10 A salvação da família de Zaqueu
1 E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. 2 E eis que havia ali um homem, chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos e era rico.3 E procurava ver quem era Jesus e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura. 4 E, correndo adiante, subiu a uma figueira brava para o ver, porque havia de passar por ali. 5 E, quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa,  porque, hoje, me convém pousar em tua casa. 6 E, apressando-se, desceu e recebeu-o com júbilo. 7 E, vendo todos isso, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador.
8 E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se em alguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado. 9 E disse-lhe Jesus: Hoje, veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. 10 Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido. 
19.1-10 A CONVERSÃO DE ZAQUEU. Esta história revela que Jesus ainda continuava a buscar e salvar os perdidos (v.10), bem poucos dias antes da sua crucificação; foi este o propósito da sua vinda (cf. 15.3-7; Ez 34.16). Zaqueu, um publicano, ou cobrador de impostos, ganhava muito bem a vida, cobrando do povo mais do que devia. Por este motivo, o povo desprezava os publicanos. A solicitude de Jesus por Zaqueu nos impele a levar o evangelho aos repelidos pela sociedade, pois todos os seres humanos estão perdidos e necessitam de Cristo.
19.8 DOU AOS POBRES. A confissão genuína do pecado e a verdadeira fé salvífica em Cristo resultarão na transformação da conduta externa da pessoa. Ninguém pode chegar a conhecer a Cristo, aceitar a sua salvação e, ao mesmo tempo, continuar no pecado, ser desonesto e duro de coração para com o próximo.
 
Sábado At 16.31 A salvação da família do carcereiro 
31 E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.
16.30 QUE É NECESSÁRIO QUE EU FAÇA PARA ME SALVAR? Esta é a pergunta mais importante que alguém se pode fazer. A resposta dos apóstolos é: Crê no Senhor Jesus Cristo (v. 31). (1) Crer no Senhor Jesus é achegarmo-nos a Ele como o nosso vivo e divino Redentor, nosso Salvador da condenação eterna e o Senhor da nossa vida. É crer que Ele é o Filho de Deus enviado pelo Pai e que tudo quanto Ele é verdadeiro e final para a nossa vida. É crer que Ele perdoa os nossos pecados, torna-nos seus filhos, dá-nos o Espírito Santo e está sempre presente conosco para nos ajudar, guiar, consolar e nos levar até ao céu. (2) A fé salvífica é muito mais do que crer em verdades a respeito de Cristo. Ela nos aproxima dEle, faz-nos permanecer nEle e entregar-lhe nossa vida conturbada, na confiança de que Ele, sua Palavra e o Espírito Santo nos conduzirão através desta vida à gloriosa presença do Pai.
 
Leitura Bíblica Em Classe: ATOS 16.25-3425 Perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam. 26 E, de repente, sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos. 27 Acordando o carcereiro e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada e quis matar-se, cuidando que os  presos já tinham fugido. 28 Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos. 29 E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas. 30 E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? 31 E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa. 32 E lhe pregaram a palavra do Senhor e a todos os que estavam em sua casa. 33 E, tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou-lhes os vergões; e logo foi batizado, ele e todos os seus.
34 Então, levando-os a sua casa, lhes pôs a mesa; e, na sua crença em Deus, alegrou-se com toda a sua casa.
16.25 ORAVAM E CANTAVAM HINOS. Paulo e Silas estavam sofrendo a humilhação do encarceramento, tendo seus pés presos ao tronco e as costas laceradas por açoites. No meio desse sofrimento, no entanto, oravam e cantavam hinos de louvor a Deus (cf. Mt 5.10-12). Aprendemos da experiência missionária deles: (1) que a alegria do crente vem do interior e independe das circunstâncias externas; a perseguição não pode destruir nossa paz e nossa alegria (Tg 1.2-4); (2) que os inimigos de Cristo não poderão destruir a fé em Deus e o amor por Ele que o crente tem (Rm 8.35-39); (3) que mesmo no meio das piores circunstâncias, Deus dá graça suficiente àqueles que estão na sua vontade e que sofrem por amor ao seu nome (Mt 5.10-12; 2 Co 12.9,10); (4) que sobre aqueles que sofrem por amor ao nome de Cristo, repousa o Espírito da glória de Deus (1 Pe 4.14).
16.26 FORAM SOLTAS AS PRISÕES DE TODOS. Por todo o livro de Atos, Lucas enfatiza que nada pode impedir o avanço do evangelho de Cristo quando propagado por crentes fiéis. Em Filipos, Deus interveio, e Paulo e Silas foram libertos por um terremoto enviado por Ele. O resultado foi um maior progresso do evangelho, destacando-se a salvação do carcereiro e de todos os seus familiares (vv. 31-33).
16.30 QUE É NECESSÁRIO QUE EU FAÇA PARA ME SALVAR? Esta é a pergunta mais importante que alguém se pode fazer. A resposta dos apóstolos é: Crê no Senhor Jesus Cristo (v. 31). (1) Crer no Senhor Jesus é achegarmo-nos a Ele como o nosso vivo e divino Redentor, nosso Salvador da condenação eterna e o Senhor da nossa vida. É crer que Ele é o Filho de Deus enviado pelo Pai e que tudo quanto Ele é verdadeiro e final para a nossa vida. É crer que Ele perdoa os nossos pecados, torna-nos seus filhos, dá-nos o Espírito Santo e está sempre presente conosco para nos ajudar, guiar, consolar e nos levar até ao céu. (2) A fé salvífica é muito mais do que crer em verdades a respeito de Cristo. Ela nos aproxima dEle, faz-nos permanecer nEle e entregar-lhe nossa vida conturbada, na confiança de que Ele, sua Palavra e o Espírito Santo nos conduzirão através desta vida à gloriosa presença do Pai
 
Objetivos: Após esta aula, seu aluno deverá estar apto a:1- Expressar a importância da família e suas funções básicas, evidenciadas na Bíblia.
2- Descrever o plano divino de salvação para toda a família.
3- Selecionar textos bíblicos que falem do interesse de Deus em salvar toda a família.
 
Comentários: INTRODUÇÃOVocê pode dizer como Josué: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor”?
O DESEJO DE QUALQUER SALVO É O DE QUE SUA FAMÍLIA TAMBÉM SEJA SALVA, MAS PARA QUE ISTO ACONTEÇA É PRECISO MUITO ESFORÇO, FÉ E MUITA DISCIPLINA.

I. A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA NAS SAGRADAS ESCRITURAS
1. O companheirismo recreativo. 
A recreação ou a alegria de estarem juntos deve ser demonstrada no dia a dia da família que se ama e tem o ESPÍRITO SANTO em sua convivência, pois onde está o Espírito do Senhor, aí há fartura de alegria. (Sl 16.11)
 
1 -
Diga sempre: "Eu te amo".
2 -
Reconheça seu erro e peça perdão.
3 -
Feche os olhos para os defeitos.
4 -
Exalte as virtudes do seu parceiro.
5 -
Satisfaça-o(a) sexualmente.
6 -
Dediquem tempo um ao outro.
7 -
Supra os gostos pessoais dele(a).
 
2. A procriação. 
É através do casal bem ajustado que DEUS povoa a terra com sua semente boa, o inimigo semeia o joio, mas a boa semente fará proezas no meio deles e será coroado de vitória ante seus olhos turvos pelo pecado.
Os filhos são bênçãos do Senhor e devem ser recebidos como prêmio de DEUS ao casal para que a terra seja povoada. (Sl 127.3-5).
LEMBREM-SE DE QUE VOCÊS DOIS TERMINARÃO SUAS VIDAS DA MANEIRA QUE COMEÇARAM, OU SEJA, SÓ OS DOIS; OS FILHOS VÃO CONSTITUIR SUAS PRÓPRIAS FAMÍLIAS(SÃO FLECHAS)  E O CASAL DEVE INVESTIR UM NO OUTRO PARA QUE NO FUTURO, QUANDO ESTIVEREM SOMENTE OS DOIS, POSSAM SER COMPANHEIROS E AMIGOS.

3. A formação do povo de Deus. 
O povo de DEUS em sua linhagem pré-cristã foi iniciada em Abraão, através de um milagre de concepção, para que o ser humano soubesse que DEUS é aquele que faz da estéril uma alegre mãe de filhos. (Sl 113.9)
A - Na Chamada De Abraão Se Vê Que Deus Escolheu Um Povo Pelo Qual Seria Glorificado Na Terra E Todas As Nações Dariam Testemunho Desse Deus Tão Poderoso E Iriam Querer Conhecê-Lo; Mas Deus Tinha Em Mente Um Povo Escolhido Dentre Todos Os Povos, Nações, Línguas, Tribos E Raças: "A   I G R E J A ".
Características Da Condição Dos Gentios, No Passado:
 
A.1 Sem O Concerto(V.11)
A Circuncisão Tinha Um Sentido Moral E Religioso Que Tornava Os Judeus Diferentes Dos Demais Povos Do Mundo (Gn 17.9-14).  Gentio Na Carne = Idólatra-Adorador De Deuses Mortos-Não Pertencente Ao Povo De Deus.
A.2 Sem O Sinal De Exclusividade
Incircuncisão = Cachorro Sarnento
A.3 Sem Cristo(V.12)
Não Tinham Nem Ouvido Falar Do Messias, O Salvador, O Elo De União Entre Todos Os Povos Com Deus, Formando Um Povo Só.
A.4 Sem Direito À Comunidade De Israel(V.12)
Teocracia = Deus Governando Através De Homens Escolhidos Por Ele Mesmo.
A.5 Sem Esperança(V.12)
Não Podiam Esperar Nada Do Futuro, Pois Nem Sabiam De Um Futuro Com Deus.
A.6 Sem Deus No Mundo(V.12)
Todo Ser Humano Tem Uma Intuição Da Existência De Deus, Mas Só Pode Conhece-Lo Através Do Conhecimento De Cristo. O Espírito Do Homem Clama Por Deus, Mas O Homem Não Sabe Como Encontrá-Lo: Precisamos Apresentar Jesus Cristo A Todos, Pois Ele É O Único Caminho.
 
            B. Unidade No Corpo De Cristo:
B.1 Antes, Estávamos Longe; Agora Chegamos Perto(V.13)
Pelo Sangue De Cristo, Chegamos Perto. Somos Um Mesmo Espírito Com Ele. Antes Separados, Na Carne; Agora Unidos Pelo Espírito Santo.
B.2 Antes, Sem Reconciliação; Agora Temos Paz Com Deus(Vv.14,16)
Cristo Nos Reconciliou Com O Pai ( A Ofensa Foi Paga Na Cruz ), Através Do Seu 
Sangue A Parede De Separação Foi Removida(O Pecado).
B.3 Antes, Éramos Dois Povos; Agora, Somos Um Só(V.15)
Não Há Mais Diferença, Formamos Um Só Corpo; O Corpo De Cristo. (Deus Olha De Cima E Vê Milhões De Filhos)
B.4 Antes, Não Tínhamos Acesso Ao Pai; Agora, Em Cristo, Isto É Possível(Vv.18,19)
Os Gentios Não Podiam Nem Entrar No Templo Construído Pelos Judeus, Agora Nós Podemos Entrar Na Presença Do Pai Pelo Novo E Vivo Caminho Que Jesus Nos Consagrou = O Véu Foi Rasgado, Isto É, Sua Carne.
 
C. Unidade Na Construção Do Edifício De Deus:
 
C.1 O Fundamento Dos Apóstolos E Dos Profetas(V.20)
Os Profetas Do Antigo Testamento Profetizaram A Respeito De Cristo E Os Apóstolos, No Novo Testamento, Confirmaram Essas Profecias. Nessa Tipologia De Um Edifício Cristo É A Pedra Principal (De Esquina) E Os Profetas E Apóstolos São Colunas De Sustentação E Declarados Também Como Fundamento, Pois São Testemunhas Das Promessas De Deus E Seus Ensinos, Juntamente Aos De Jesus São A Base Da Igreja.
C.2 O Lugar De Cada Crente No Edifício De Deus(Vv.21,22)
Somos O Templo De Deus Na Terra, Unidos Pelo Espírito Santo. Se Somos Como Pedras Vivas O Espírito Santo É Como A Massa De Cimento Unindo Essas Pedras; Fazendo Assim Um Templo Que Cresce Cada Dia Mais, Indo De Encontro Ao Artífice E Construtor Que É Deus, Mas Sempre Olhando Para Cristo, O Autor E Consumador De Nossa Fé.
***Somos Um Só Povo, Uma Só Fé E Temos Um Só Batismo.
4. Prover o ambiente através do qual Cristo viria ao mundo. 
Foi através de uma humilde, porém santa família, que DEUS se fez homem e habitou entre nós. Assim DEUS nos dá uma lição de que não importa a condição financeira e sim a condição espiritual da família para que suas promessas de bênçãos se cumpram. (Lc 1.27)
JESUS nasceu num contexto histórico, social e econômico muito favorável para o nascimento do cristianismo.
Língua falada pela maioria dos países era o Grego, Dinheiro mais utilizado era o romano, Governo na maioria dos lugares habitados era o romano ou de seus aliados.
 
Pax Romana
Livre Movimentação
Ótimas Estradas
Religiões de Mistério
o Unidade política Þ maior uniformidade possível, sem violar excessivamente os costumes de cada país;
o Facilidade de acesso aos mais diferentes países do Império.
o Os soldados romanos mantinham a paz nas estradas e não havia mais piratas no Mediterrâneo;
o Ficou mais fácil ir de um país para o outro sem riscos de assalto ou guerra.
o Excelente sistema de estradas. Eram de concreto e duraram séculos;
o Estas estradas foram estrategicamente utilizadas por JESUS para atingir importantes cidades do império.
o O povo romano estava frustrado com estas religiões;
o A humanidade estava procurando uma fé mais pessoal que a levas-se a um contato mais imediato com a divindade
 
"Entre as religiões do império romano no século primeiro, ocupou o judaísmo um lugar único. Era nacional, tendo tido origem no povo judaico, e, no entanto, não se confinava a esse povo, pois os seus prosélitos eram numerosos. Não era o único culto que punha em relevo o culto de um Deus, mas, diferentemente dos outros, era exclusivamente monoteísta no sentido dos seus aderentes não terem permissão para adorar ou até para admitir a existência de qualquer outro deus ou quaisquer outros deuses." 7 (Idem, Ibid. p. 111e)
 
O Monoteísmo
O Sistema Ético
O Antigo Testamento
A Sinagoga
o Nunca mais, depois do cativeiro babilônico, os judeus voltaram à idolatria;
o As sinagogas espalharam o monoteísmo no império.
o O judaísmo ofereceu ao mundo o mais puro sistema ético da época, dando uma nova perspectiva moral e espiritual facilitando a pregação do evangelho.
o O povo judeu preparou o caminho para o cristianismo oferecendo à igreja em formação um livro sagrado, já pronto e completo, o A.T. utilizado pelos apóstolos ao anunciar o evangelho.
o Nasceu durante o cativeiro babilônico, por causa da ausência do templo;
o Foi o lugar em que Paulo pregou em todas as cidades por onde passou durante as suas viagens missionárias.
 
II. A FAMÍLIA NO PLANO REDENTOR DE DEUS
1. O compromisso divino em salvar a família. 
a- A aliança que Deus fez com Noé para poupar tanto a ele como a sua família da destruição
"Contigo, porém, estabelecerei a Minha aliança; entrarás na arca, tu e teus filhos, e tua mulher, e as mulheres de teus filhos" (Gên. 6:18).
 
b- A aliança com Abrão

"Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da Terra" (Gên. 12:3). 
c- "Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a Minha voz e guardardes a Minha aliança, então, sereis a Minha propriedade peculiar dentre todos os povos; porque toda a terra é Minha" (Êxodo 19:5) 
2. A responsabilidade individual. 
Ez 18.4 Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá.
Ez 18.20 A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai levará a iniqüidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele.
"Crê no Senhor Jesus, e serás salvo, tu e toda a tua casa", At.16:31
Deus tem um plano para toda a família. Não quer dizer que porque um se converteu, todos irão converter-se por causa deste texto. Não creio que ele seja uma promessa a todo crente, mas sim que revele uma intenção de Deus quanto às famílias de uma forma geral. Vale lembrar que Paulo declarou isto ao carcereiro num momento em que este homem ia se matar. Paulo não podia vê-lo, pois além de estar dentro de sua cela, a Bíblia diz que eles estavam no escuro. O apóstolo Paulo teve uma revelação do Espírito Santo para uma pessoa específica, num momento específico. Não posso dizer: - "Hei, Deus! Você prometeu que se eu cresse iria salvar todo mundo lá em casa!". Mas posso muito bem orar pelos meus familiares crendo que há um plano divino para a família. Cada familiar meu tem o direito de escolha, se dirão sim ou não a Jesus Cristo, é responsabilidade pessoal de cada um deles. Mas farei de tudo para convencê-los, ensiná-los, cobri-los de oração intercessória e tudo o mais que for possível. No caso deste carcereiro Filipenses, o Senhor mostrou de antemão toda a família salva. Mas para cada um de nós, mesmo se não diga de antemão o que irá acontecer, Deus já revelou seu plano em sua Palavra para toda a família. E o sacerdote do lar tem uma grande responsabilidade de afetar o destino dos seus entes queridos.
 

III. COMO A FAMÍLIA PODE SER SALVA
1. Confie na promessa de Deus. 
A Bíblia esta cheia de promessas de Deus para seus lhos. E a promessa de um Deus fiel, que cumpre sem a sua Palavra.
Podemos confiar nas suas promessas.
Podemos arriscar nelas a nossa vida. Deus não irá falhar. Por isso vale a pena conhecer as promessas de Deus para a nossa vida. Mais ainda, vale a pena guardá-las b gravadas na nossa mente e no nosso coração. Por isso anote dia por dia as promessas de Deus.
Não encontraremos promessas em todas as passagens que lermos. Mas são tantas as promessas de Deus na Bíblia que encontramos muitas e com freqüência. Anote sempre que encontrar (se não encontrar, não se preocupa não queira criar promessas que Deus não fez).
Eis alguns exemplos:
"Todo aquele que proclama que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele e ele em Deus" (1 Jo 4,15).
"E estais certos de que cada um receberá do Senhor recompensa do bem que tiver feito" (Ef 6,8)
"Porque eu vos darei uma palavra cheia de sabedoria a qual não poderão resistir nem contradizer os vossos adversários" (Lc 21,15).
"Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo" (Rom 10,13).
"Mas o Senhor é fiel, e Ele há de vos dar forças e vos preservar do mal" (2 Tes 3,3).

2. Interceda por sua família. 
Definição de Intercessão:
Interceder é colocar-se no lugar de outro e pleitear a sua causa, como se fora sua própria. É estar entre Deus e os homens, a favor destes, tomando seu lugar e sentindo sua necessidade de tal maneira que luta em oração até a vitória na vida daquele por quem intercede.
 
Jo 4.46.50 Disse-lhe Jesus: Vai, o teu filho vive. E o homem creu na palavra que Jesus lhe disse, e partiu.
As dificuldades não escolhem pessoas. Todos nós somos alcançados pelos problemas, pelas doenças, pelos acidentes. Muitas vezes nos rebelamos ou nos aborrecemos devido aos problemas ao invés de encontrar neles algum propósito maior e benéfico para as nossas vidas. Nesta passagem encontramos um homem nobre que, apesar da sua alta posição social, estava em dificuldades. Seu amado filho estava próximo da morte. Os melhores médicos da época já haviam dito: "não existe esperanças". Ele então pensou na possibilidade de Jesus ajudá-lo e ao saber que Ele estava próximo de sua cidade partiu para Caná em busca de uma solução para o problema de seu filho.
O primeiro passo para a fé redentora é possuir uma fé que busca. Ele já tinha ouvido falar acerca de Jesus e isto o levou a procurá-lo. Ainda que o tenha buscado percebemos que ele limitou o poder de Jesus ao lugar onde Ele estava(Caná). Mas apesar desta limitação ele veio a Jesus assim como todos devem ir a Cristo por si mesmos para solucionarem os seus problemas. Vemos neste episódio um confronto entre a fé que busca e a fé estática. A fé que busca o levou a Jesus. A fé estática o manteve ali quando teve a impressão de que Jesus tinha recusado atender o seu pedido ao dizer: "se não virdes sinais e milagres, não crereis"(v.48). Então ele persiste: "Senhor, venha comigo rapidamente, meu pequeno filho está próximo da morte. Por favor ajude-me"(v.49).
Sua fé foi honrada por Jesus que disse: "vai, o teu filho vive"(v.50). Jesus não foi com ele, mas respondeu o seu pedido. Ele submeteu-se a Jesus e a Sua Palavra e iniciou uma jornada expectante até a sua casa. Nós devemos sempre relembrar que o caminho de Cristo é o melhor caminho. Por esta razão devemos obedecê-lo e confiantes compartilharmos este caminho com aqueles que não o conhecem. A fé redentora submete-nos a Jesus, a sua Palavra e aos atos baseados nela. Aquele homem estava começando a experimentar um crescimento espiritual que teve como ponto de partida a difícil situação de saúde que seu filho estava enfrentando. O que era aparentemente um grande problema tornou-se uma oportunidade para aproximar-se de Deus em Jesus Cristo.
No caminho de casa ele encontrou seus servos e perguntou-lhes quando o garoto iniciou a sua melhora. E ao ouvir a resposta ele lembrou-se de que aquele horário mencionado foi o exato momento em que Jesus tinha dito "teu filho vive". Então ele creu, teve a fé redentora, e levou seus familiares a receberem a Jesus Cristo como Salvador e Senhor(v.53). Ele foi até Caná procurando ajuda para seu filho enfermo. Teve esta ajuda, mas o mais importante, a criança agora teve sua família transformada por Jesus e poderia crescer em maturidade, em amor e educação nos propósitos de Deus para a sua vida. Senhor, ajude minha fé crescer. Dê-me fé para crer que nada é impossível para você. Abençoa o meu propósito de seguir a Jesus ajudando as pessoas a crescerem na fé também!
 
Mc 7.26 E esta mulher era grega, siro-fenícia de nação, e rogava-lhe que expulsasse de sua filha o demônio
 “Pais cristãos: chorem agora para não chorar depois. Chorem diante de Deus intercedendo por seus filhos. Não tenham olhos secos na presença de Deus. Ri melhor quem ri por último, mas chora melhor quem chora primeiro. Chore agora para ri depois. «Aqueles que semeiam chorando colherão com alegria» (Sl 126,5 BLH)”[2]. Foi este o pensamento da mulher sírio fenícia diante de Jesus (Mc 7.24-30). Quando o Senhor vê o clamor dos pais pelos filhos Ele atua poderosamente.
 
2Sm 12.16 E buscou Davi a Deus pela criança; e jejuou Davi, e entrou, e passou a noite prostrado sobre a terra.
É verdade. É necessário que choremos por nossos filhos. David chorou pelo filho que foi gerado no seu pecado (2 Sm 12.15-16). Mas não chorou pelos outros filhos. Não corrigiu os filhos (1 Rs 1.6). Por que não corrigiu os filhos, chorou de tristeza (2 Sm 18.33).
 
Devemos ter a coragem de entregar os nossos filhos para que sejam poupados. A mulher que disputava seu filho com outra que não era a mãe legítima entrega a criança nas mãos de Salomão e abre mão dela. Por este motivo Salomão reconheceu que ela era a mãe da criança.
    Ana teve a coragem de entregar Samuel ao sacerdote Eli. Quantos de nós temos esta ousadia de entregar os nossos filhos nas mãos do Senhor.
 
3. Ganhe o seu cônjuge através do exemplo. “Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas ao vosso próprio marido, para que também, se algum não obedece à palavra, pelo procedimento de sua mulher seja ganho sem palavra, considerando a vossa vida casta, em temor” (1 Pe 3.1,2).
3.1 MARIDOS... SEJAM GANHOS. Pedro ensina como uma esposa deve agir a fim de ganhar para Cristo o seu marido não salvo. (1) Ela deve ser submissa ao marido e reconhecer a sua liderança na família (ver Ef 5.22 nota). (2) Ela deve conduzir-se de modo santo e respeitoso, com espírito manso e quieto (vv. 2-4; ver 1 Tm 2.13,15 notas). (3) Ela deve esforçar-se para ganhar o marido para Cristo, mais pelo comportamento, do que por suas palavras.
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao13-familia-eserassalvotueatuacasa.htm

INTERAÇÃOCaro professor, chegamos ao fim de mais um trimestre. É o momento de pararmos e refletirmos sobre o exercício magisterial deste semestre que passou. Como foi? Como professor, os objetivos foram cumpridos? Temos ainda mais um semestre pela frente e pensarmos e repensarmos a nossa prática de ensino é auspicioso para corrigirmos erros e vislumbrarmos acertos no futuro. Professor, a sua classe espera de você comprometimento, seriedade e conteúdo. Por isso, esforça-te em estudar e pensar a fé cristã. Leia, leia sempre. Pois a leitura é tremendamente libertadora - "Conhecereis a verdade, e esta te libertará". Reflita!

OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:Conhecer o exemplo de Noé.
Imitar a decisão de Josué.
Compreender a fidelidade dos recabitas.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICAPrezado professor, para introduzir a lição dessa semana sugerimos que reproduza, conforme as suas possibilidades, o esquema abaixo. Este apresenta um breve resumo dos três personagens centrais da nossa lição. Explique a classe que, sem exceção, ambos os personagens viveram numa sociedade oposta aos princípios de sua fé e nem por isso deixaram de se posicionar contra as imoralidades daquela época. Afirme que é assim que devemos nos comportar diante de uma sociedade corrupta. Boa aula!

POSICIONAMENTOS EM TEMPOS DE CRISE
NOÉ

Ele andou com Deus. Viveu numa sociedade absolutamente corrompida. Esta era marcada por uma imoralidade incontrolável. Ali, não havia temor a Deus. Mesmo assim Noé não hesitou em tomar a decisão de fazer a arca e anunciar o juízo de Deus para aquela sociedade. Pela decisão de entrarem na Arca, o Senhor livrou Noé e sua família do juízo..
JOSUÉ
Canaã estava num tempo de lassidão moral e idolatria. Naturalmente, o povo de Deus foi influenciado por este contexto de trevas. Mas Josué não deixou de se posicionar e, categoricamente, afirmou: “se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais: [...]; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor”.
RECABITAS
A sociedade judaica estava corrompida e carregada de vícios. Indignidade e infidelidade eram características dela. Nesse contexto é que o profeta Jeremias apresenta os Recabitas. Estes compunham uma tribo nômade que havia recebido do seu ancestral os princípios da
lei do Senhor. Passaram-se duzentos anos e os recabitas não se dobraram à indignidade daquele tempo. Eles honraram ao Senhor e aos seus ancestrais.
 
RESUMO DA LIÇÃO 13, EU E MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR
I. O EXEMPLO DECISIVO E CORAJOSO DE NOÉ
1. Noé andou com Deus.
2. Vivendo numa sociedade corrompida.
3. A salvação de Noé e sua família.
II. JOSUÉ - UMA DECISÃO EXEMPLAR
1. A firme tomada de posição.
2. O perigo da omissão dos pais.
III. O EXEMPLO DOS RECABITAS
1. Uma família exemplar.
2. Um exemplo de fidelidade.


AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I - Subsídio Teológico"NOÉ, UM SEGUNDO ADÃO
O pecado do homem nos dias de Noé era atroz e doloroso ao Senhor, que se arrependeu de ter criado o homem. Ele determinou enterrar o homem sob as águas do mar da mesma maneira que enterrara Adão sob a superfície da terra. As águas caóticas, que se submeteram obedientemente à mão do Criador para que a terra seca aparecesse, agora seriam soltas pelo Criador como instrumento da ira vingativa divina. Mas mesmo assim os propósitos criativos originais não seriam frustrados e reduzidos, porque Deus começaria novamente com outro Adão, outra imagem que manteria o mandato da soberania. Claro que este 'Adão' era nada mais nada menos que Noé.
Noé, embora justo e inocente, foi escolhido não por causa da sua condição reta, mas como objeto da graça eletiva de Deus (Gn 6.8). Essa eleição tinha óbvias implicações salvíficas - ele foi salvo do Dilúvio -, mas, além disso, e mais fundamentalmente, era a escolha pelo ajuste do concerto para o qual Adão fora criado. Noé tinha de ser o começo de um novo empreendimento de compromisso do concerto, um novo vice-regente por meio de quem os propósitos soberanos de Deus tornar-se-iam realidade" (ZUCK, Roy B (Ed.). Teologia do Antigo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD. 2009, p.36).

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsídio Teológico e Homilético"A Promessa de Temer e Obedecer a Deus
Quase todo o relato de Josué é preenchido com a conquista e a divisão da terra pelos israelitas. Nesse sentido, isso é o assunto de que o livro trata. No entanto, encontramos um subtexto importante que precede essa atividade e continua ao longo dela. O povo fez isso porque prometeu temer e obedecer a Deus.
Pergunto-me se você notou isso ao ler Josué ou se apenas seguiu as histórias extraordinárias de espiões e de queda de muros. No capítulo 1, eles prometeram obedecer a Josué, o porta-voz do Senhor (1.16-18). No capítulo 5, eles, depois de atravessar o Jordão, mas antes de ir para Jericó, começam de novo a praticar a circuncisão e a comemorar a Páscoa (5.7-10). Na época do Êxodo, quarenta anos atrás, o Senhor dera essas duas práticas ao seu povo, todavia, desde essa época tinham negligenciado essas práticas. O povo prometeu ter o Senhor como seu Deus ao reinstituir essas práticas. Em certo sentido, eles voltavam a ser o povo do Senhor após o período de quarenta anos no deserto, quando viveram em um estado de verdadeira suspensão do entusiasmo. A seguir, no capítulo 8, o povo escuta Josué reler toda a lei de Moisés (8.34,35) após a derrota de Jericó e de Ai que marcou o início da conquista da terra. Esse tempo incrível de ensino - é um símbolo poderoso de que, na verdade, eles são o povo do Senhor.
No final do livro, no registro de seus últimos atos públicos como líder deles, Josué leva o povo a renovar sua aliança com o Senhor. No que é uma das mais incomuns declarações da Bíblia, Josué soa como se incitasse o povo a não escolher seguir ao Senhor. Claro que não é esse o caso, ele tenta garantir que entendam a seriedade da escolha que estavam para fazer.
[...] Os anos (ou mesmo décadas) narrados nesse livro, mostra-nos que é exatamente isso que o povo faz. Ele mantém sua promessa de servir ao Senhor como o Deus deles. Entretanto, ao mesmo tempo em que fazem isso, eles continuam a pecar" (DEvER, Mark. A Mensagem do Antigo Testamento: Uma Exposição Teológica e Homilética. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008, pp.189-90).

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
PFEIFFER, Charles F.; vOS, Howard F.; REA, John (Eds.). Dicionário Bíblico Wycliffe. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009.
DEvER, Mark. A Mensagem do Antigo Testamento: Uma Exposição Teológica e Homilética.1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.
ZUCK, Roy B (Ed.). Teologia do Antigo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD. 2009.

SAIBA MAIS - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 54, p.42.
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 13, EU E MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR
Responda conforme a revista da CPAD do 2º Trimestre de 2013
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas verdadeiras e com "F" as falsas
 
TEXTO ÁUREO"Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais: se os deuses a quem serviram vossos pais, que estavam dalém do rio, ou os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR"  (Js 24.15).
 
VERDADE PRÁTICACom a graça de Deus, a família cristã vencerá os desafios da vida.
 

COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO
Neste trimestre estudamos os diversos males que têm assolado a família e vimos também que Deus é a única resposta para os des indispensáveis de um servo de Deus: "varão justo", "reto em suas gerações" e que "andava com Deus" (Gn 6.9). Por isso mesmo, o patriarca "achou graça aos olhos do Senhor" (Gn 6.8). todas essas características revelaram-se intensa e visivelmente na vida nossos dias. Por isso, devemos ter o Senhor Jesus como o esteio e o centro de nosso lar. Se orarmos, jejuarmos, lermos a Bíblia e fizermos o culto doméstico, teremos condições de lutar contra as forças do mal e vencê-las em nome de Jesus. Freqüentemos assiduamente a igreja e não faltemos à Escola Dominical. A família que fielmente serve ao Senhor jamais será destruída. Vigiemos e oremos em todo o tempo, para que a nossa casa não seja alcançada pelas águas do dilúvio moral que encobre o presente século. Digamos, pois, ousadamente: "Eu e a minha casa serviremos ao Senhor.
I. O EXEMPLO DECISIVO E CORAJOSO DE NOÉ
1. Noé andou com Deus. A vida de Noé revela as qualidades indispensáveis de um servo de Deus: "varão justo", "reto em suas gerações" e que "andava com Deus" (Gn 6.9). Por isso mesmo, o patriarca "achou graça aos olhos do Senhor" (Gn 6.8). todas essas características revelaram-se intensa e visivelmente na vida de Noé em meio a uma sociedade perversa, violenta, imoral e inimiga do Santíssimo Deus. O patriarca é um exemplo para os pais de família destes últimos dias.
2. Vivendo numa sociedade corrompida. A época de Noé foi marcada por uma imoralidade incontrolável e por uma ausência completa de temor a Deus (Gn 6.11,12). Não poderia haver mundo pior. Quando analisamos a chamada sociedade pós-moderna, depressa concluímos: não há diferença entre o nosso século e o século no qual vivia o santo patriarca. Eis aí um dos mais fortes prenúncios da iminente volta de Jesus (Mt 24.37,39).
Portanto, que o exemplo de Noé nos inspire a confiar em Deus e a agir como Ele requer de todos os seus filhos. É hora de lutar por nossas famílias, a fim de que Satanás não as destrua.
3. A salvação de Noé e sua família. No mundo antigo, apenas Noé e a sua família escaparam do cataclismo que devastou a terra (Gn 7.1). A fé de Noé estendeu-se aos seus filhos, estes creram em Deus e foram salvos do dilúvio. Não havia nada que pudesse salvá-los, a não ser a firme decisão de dizer "sim" ao Senhor. Somente a graça de Deus, que alcançou o patriarca e a sua casa, pode salvar o nosso lar da destruição moral e espiritual de nossos dias
II. JOSUÉ - UMA DECISÃO EXEMPLAR
1. A firme tomada de posição. Josué tomou uma firme e decisiva posição, a fim de preservar a sua família da idolatria e da lassidão moral de Canaã (Js 24.15). É um exemplo que todo crente deve seguir. Caso contrário, nosso cônjuge e filhos serão destruídos pela iniqüidade. Há muitos lares que, apesar de serem conhecidos como cristãos, não mais servem a Cristo. Os pais já abdicaram de suas responsabilidades quanto à formação espiritual, moral e ética de seus filhos. Não mais os educam com amor e firmeza; não lhes impõem qualquer limite. E o que dizer da violência doméstica? Não podemos confundir disciplina com truculência e brutalidade, pois a esse respeito a Palavra de Deus é bastante clara: "E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor" (Ef 6.4).
2. O perigo da omissão dos pais. A Palavra de Deus recomenda aos pais que criem os seus filhos "na doutrina e admoestação do Senhor" (Ef 6.4b). Isso significa que não podemos nos omitir. veja mais uma vez o exemplo de Josué. Ele não se omitiu, mas levou toda a sua casa a servir somente a Deus (Js 24.15). De igual modo, devemos educar nossos filhos. Essa decisão tem de ser prioritária em nossa vida. Assim agiu Josué, porque ele sabia que, doutra forma, não haveria esperança para o seu lar.
III. O EXEMPLO DOS RECABITAS
1. Uma família exemplar. A Bíblia de Estudo Pentecostal afirma que os recabitas eram um povo que "fazia parte de uma tribo nômade aparentada com os queneus e com Jetro, sogro de Moisés (cf. Jz 1.16; 1 Cr 2.55). Seu ancestral, Jonadabe (cf. 2 Rs 10.15-27), ordenara a seus filhos, mais de duzentos anos antes, que não bebessem nenhum tipo de vinho".
Mais tarde, o próprio Deus tomou os recabitas como exemplo, para mostrar como uma família pode e deve comportar-se. Eles agiam com dignidade, moderação e fidelidade ao Senhor em meio a uma sociedade corrompida e carregada de vícios (Jr 35.1-19).
2. Um exemplo de fidelidade. Aos seus filhos, Recabe transmitira fielmente os princípios da lei de Deus. Passados duzentos anos, seus descendentes continuavam a observar-lhe as ordenanças e a respeitar-lhe as tradições. Por isso, o Senhor resolveu mostrá-los como exemplo de fidelidade aos filhos de Judá. Instruído por Deus, Jeremias leva-os a uma das câmaras do Santo templo e oferece vinho àqueles homens (Jr 35.1-14). Mas eles se recusam a beber, porque se mantinham obedientes à voz de Recabe: "Não beberemos vinho, porque Jonadabe, filho de Recabe, nosso pai, nos mandou, dizendo: Nunca bebereis vinho, nem vós nem vossos filhos; [...] Obedecemos, pois, à voz de Jonadabe, filho de Recabe, nosso pai, em tudo quanto nos ordenou [...]" (Jr 35.6,8).
Em virtude de sua obediência, os recabitas foram grandemente abençoados: "visto que obedecestes ao mandamento de Jonadabe, vosso pai, e guardastes todos os seus mandamentos, e fizestes conforme tudo quanto vos ordenou, assim diz o Senhor dos Exércitos, Deus de Israel: Nunca faltará varão a Jonadabe, filho de Recabe, que assista perante a minha face todos os dias" (Jr 35.18,19). Quando da destruição de Jerusalém pelos babilônios, eles foram poupados por Deus ao passo que os judeus infiéis vieram a perecer.
Se encaminharmos nossos filhos nas Sagradas Escrituras, eles também serão preservados da tribulação que virá sobre este mundo que jaz no maligno. Portanto, instrua sua casa na doutrina e na admoestação do Senhor.
CONCLUSÃO
Diante de todo o Israel, Josué foi decisivo: "Eu e a minha casa serviremos ao Senhor". Se não agirmos da mesma forma, corremos o risco de ver o nosso lar destruído pelo Maligno. O momento requer firmeza e coragem. O que estamos esperando? Neste momento, reúna o seu cônjuge e filhos e renove os seus votos de fidelidade a Deus. Agindo assim, você terá o Senhor Jesus como o seu hóspede permanente. Oremos e lutemos pela família cristã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário