Pesquisa personalizada

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

EBD - LIÇÃO 10, O EXERCÍCIO MINISTERIAL NA CASA DO SENHOR (Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva)


 
TEXTO ÁUREO
"Ora, além disso, o que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel" (1 Co 4.2 - ARA).
 
 
VERDADE PRÁTICA
O verdadeiro líder age com sabedoria e prudência, porque sabe que a sua autoridade procede do soberano e único DEUS.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - Mt 21.13 A casa de DEUS é chamada casa de oração
Terça - Ne 1 3.4,5 Nepotismo na Casa do Senhor .
Quarta - 1 Tm 6.9 A cobiça leva ao fracasso espiritual
Quinta - 1 Pe 5.1-3 O líder cristão é o exemplo do rebanho
Sexta - 1 Tm 6.10 Rejeitando o apego ao dinheiro
Sábado - SI 24. 1 DEUS é dono de tudo
 
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Neemias 1 3.1-8
1 - Naquele dia, leu-se no livro de Moisés aos ouvidos do povo; e achou-se escrito nele que os amonitas e os moabitas não entrassem jamais na congregação de DEUS, 2 - porquanto não tinham saído ao encontro dos filhos de Israel com pão e água; antes, assalariaram contra eles a Balaão para os amaldiçoar, ainda que o nosso DEUS converteu a maldição em bênção. 3 - Sucedeu, pois, que, ouvindo eles esta lei, apartaram de Israel toda mistura. 4 -Ora, antes disso, Eliasibe, sacerdote, que presidia sobre a câmara da Casa do nosso DEUS, se tinha aparentado com Tobias; 5 - e fizera-lhe uma câmara grande, onde dantes se metiam as ofertas de manjares, o incenso, os utensílios e os dízimos do grão, do mosto e do azeite, que se ordenaram para os levitas, e cantores, e porteiros, como também a oferta alçada para os sacerdotes. 6 - Mas, durante tudo isso, não estava eu em Jerusalém, porque, no ano trinta e dois de Artaxerxes, rei de Babilônia, vim eu ter com o rei; mas, ao cabo de alguns dias, tornei a alcançar licença do rei. 7 - E vim a Jerusalém e compreendi o mal que Eliasibe fizera para beneficiar a Tobias, fazendo-lhe uma câmara nos pátios da Casa de DEUS, 8 - o que muito me desagradou; de sorte que lancei todos os móveis da casa de Tobias fora da câmara.
 
INTRODUÇÃO
Devido à lição se relacionar ao tempo de Neemias, e mais especificamente, ao tempo em que o sumo sacerdote Eliasibe (significado do nome Eliasibe: MEU DEUS É PAI), lider religioso e ao mesmo tempo responsável pelas finanças do templo (câmara), se aparentou com Tobias e lhe deu uma moradia dentro do templo, em Jerusalém, estudaremos sobre o serviço ministerial relacionado às finanças.
Não se sabe se Tobias era comerciante e se negociava as mercadorias que ali se depositava e se também conseguia ótimos lucros com o dinheiro ali depositado, o que se sabe é que o sacerdote Eliasibe estava contente com seu trabalho, pois lhe arranjou uma câmara grande no templo (cremos que não foi apenas por ser agora seu parente). Provavelmente desde o tempo em que Eliasibe e Tobias andavam juntos e tramavam contra a reconstrução do templo e da cidade, tinham um acordo de se tornarem parentes e de se apossarem das coisas de DEUS. Uma clássica negociata política que hoje vemos entre os políticos atuais e nossos lideres. Pelo menos os votos dos crentes sao garantidos nessas negociatas.
Eliasibe era ao mesmo tempo parente de Tobias e de Sambalate - Ne 13.28 "Também um dos filhos de Joiada, filho do sumo sacerdote Eliasibe, era genro de Sambalate, o horonita, pelo que o afugentei de mim".
 
RESUMO RÁPIDO:
Por onze anos Neemias governa e administrar de forma brilhante Jerusalém e região.
O partido de oposição pouco pode fazer diante de tal administração, principalmente porque tem o aval de Deus.
Neemias volta à Babilônia para prestar contas ao rei Artaxerxes. Ali permanece por 12 anos.
Durante este período, Eliazibe aproveita para impor suas idéias e planos, mancomunado com Tobias que, agora é seu parente próximo e alguns cidadãos de condição financeiras avantajadas e politicamente influentes.
Agora pouco importa a separação de outros povos ímpios. Eliazibe não só aprova o casamento de uma membro de sua família com Tobias, amonita (antes inimigo da obra de Deus junto com Sambalate), mas , além disso, lhe permite morar no templo, em uma adaptação de várias salas que antes eram destinadas a receber donativos para o templo e a manutenção dos levitas e sacerdotes da casa do Senhor.
O povo, vendo a má administração de Eliazibe, passa a não contribuir com a obra do Senhor e os levitas abandonam o templo por falta de sustento.
Sem estudo da Palavra de DEUS e sem orientação sacerdotal correta o povo relaxa na ética e comunhão com DEUS.
O sábado é profanado pelo comércio e o declínio espiritual é deprimente.
Aproximadamente no ano 420 a.C. Neemias é enviado novamente para Jerusalém como governador.
Conhecendo a deplorável situação em que se encontrava a nação ele dá início à renovação espiritual, moral, financeira e social da nação.
1- Entra na casa de Tobias e joga toda sua mobília fora e manda purificar o local.
2- Reorganiza o culto a DEUS no templo.
3- Encoraja todos a novamente entregarem seus dízimos e ofertas.
4- Traz de volta os levitas para o serviço religioso.
5- Retira toda a capacidade de influência de Eliazibe.
 
Atitudes Corretas daqueles que administram:
Gratidão: Paulo insiste em que sejamos gratos. Precisamos estar "... transbordando de gratidão" (Colossenses 2:7). "Dêem graças em todas as circunstâncias..." (1 Tessalonicenses 5:18). Não devemos nos queixar nem sentir pena de nós mesmos, mas antes devemos considerar cuidadosamente todas as razões que temos para sermos agradecidos e louvar a Deus por suas bênçãos a nós. Os israelitas no deserto estavam se queixando constantemente, mas tinham se esquecido da grande libertação que Deus lhes tinha dado havia apenas pouco tempo. Temos que atentar para o que o Senhor nos tem dado e não para as coisas que não temos.
Contentamento: "Conservem-se livres do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês têm, porque Deus mesmo disse: ‘Nunca o deixarei, nunca o abandonarei’" (Hebreus 13:5). A presença de Deus com seu povo deveria dar tanta alegria e segurança que poderíamos facilmente nos contentar com qualquer padrão de vida. Paulo estava contente na fome ou na abundância (Filipenses 4:10:13). Por outro lado, as Escrituras estão repletas de advertências contra a ganância e a avareza (veja Lucas 12:15, por exemplo). Por qualquer razão, nunca parecemos reconhecer o desejo desordenado por coisas em nossas próprias vidas. Pensamos que todas as coisas que queremos são necessidades e que a dívida que acumulamos ao buscar adquiri-las é perfeitamente aceitável. Poderia ser que poucos de nós admitem a ganância em nossas vidas porque nos cegamos e deixamos de perceber o verdadeiro estado de nosso coração? Paulo exortou: "Por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos" (1 Timóteo 6:8). Estamos satisfeitos somente com isto?
Sobriedade: Muitos textos nos exortam a sermos sóbrios (1 Tessalonicenses 5:6, 8; 1 Pedro 1:13; 4:7; 5:8). A pessoa sóbria encara os fatos e não deixa seus desejos colorirem sua percepção da realidade. Muitas pessoas tratam das finanças num mundo de sonho, sempre imaginando que tudo dará certo magicamente. Mas fugir de um problema ou negá-lo não ajuda e não está de acordo com o caráter de Cristo. Temos que reconhecer nossa situação atual, não importa quão triste seja, e ser "homens de coragem(1 Coríntios 16:13). Ignorar os problemas não os extingue. Lutas financeiras não desvanecem sem mais nada, mas precisam ser resolvidas por disciplina séria e perseverante.
Honestidade: A honestidade é parte do caráter cristão (2 Coríntios 8:21; Tito 2:5). Pessoas honestas aceitam suas limitações financeiras e não tentam ser uma coisa que não são, vivendo num estilo de vida que suas condições não permitem. Pessoas honestas admitem que há muitas coisas que outras em torno delas têm ou podem fazer que elas não podem porque não têm dinheiro suficiente para isso. E pessoas honestas não fazem dívidas que não têm capacidade para pagar (veja Romanos 13:8).
Diligência: Algumas vezes, porém nem sempre, os problemas financeiros resultam da preguiça. "Tirando uma soneca, cochilando um pouco, cruzando um pouco os braços para descansar, a sua pobreza o surpreenderá como um assaltante, e a sua necessidade lhe sobrevirá como um homem armado" (Provérbios 6:10-11). "Por causa da preguiça, o telhado se enverga; por causa das mãos indolentes, a casa tem goteiras" (Eclesiastes 10:18). Problemas financeiros devem ser esperados quando nos mimamos com descanso e sossego, e não trabalhamos esforçadamente. Um homem deve sustentar sua família (1 Timóteo 5:8) mesmo que isso possa envolver trabalho difícil ou empregos desagradáveis, ou mesmo se o trabalho disponível é relativamente mal pago.
Espiritualidade: Precisamos manter nosso foco principal em Cristo, não em coisas materiais. "Ninguém pode servir a dois senhores: pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro... Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas" (Mateus 6:24, 33). Nossas posses, nossa posição e nosso sucesso nesta vida são matérias insignificantes para o verdadeiro cristão. Ele se vê como meramente passando através desta vida como um peregrino e portanto relativamente desinteressado nas suas condições. Ele nunca faz da prosperidade material uma meta séria (veja Lucas 9:57-58). O homem espiritual percebe que seu dinheiro e sua posição financeira não são as coisas importantes da vida.
Altruísmo: O servo do Senhor está sempre buscando dar, em vez de gastar consigo mesmo. Ele vê o dinheiro que ganha trabalhando como uma bênção que ele pode aplicar servindo a outros: "O que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo algo de útil com as mãos, para que tenha o que repartir com quem estiver em necessidade" (Efésios 4:28). Discípulos verdadeiros vêem a prosperidade material não tanto como algo para si mesmos, mas como algo útil para servir outros (2 Coríntios 9:8-11). Enquanto o cristão for egoísta, ele sempre sentirá frustrações ao lidar com assuntos financeiros.
Humildade: A humildade para admitir enganos e buscar corrigi-los é básica. Muitos de nós temos tido atitudes impróprias e não temos administrado bem nosso dinheiro. Nunca mudaremos até que admitamos que temos estado errados. Precisamos também ter a humildade de examinarmo-nos à luz da palavra de Deus e fazer as coisas que aprendermos (Tiago 1:21-24). Esta seria uma boa hora para parar de ler este artigo e rever as oito atitudes que precisamos ter e tentar honestamente avaliar-nos e resolver mudar nossa atitude nas áreas necessárias. Como Deus nos vê em cada uma destas atitudes?
Mudanças Específicas
As coisas específicas que precisamos fazer ao lidar com problemas financeiros dependem de nossa mudança e adoção das atitudes mencionadas acima. Sem perspectivas corretas, os passos seguintes terão pouca validade.
Avalie honestamente sua situação. Encare os fatos. Talvez ajudasse pegar uma folha de papel e lançar todas as suas dívidas e anotar os valores de todas. Então, lançar sua renda e suas despesas mensais. Qual é, exatamente, sua situação financeira.
Comece a pagar suas dívidas. "Não devem nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros...(Romanos 13:8). Calcule quanto dinheiro por mês é necessário para pagar todos os juros e, também, comece a pagar o principal (o valor original do empréstimo, antes do acréscimo de juros). Se suas prestações e obrigações mensais forem mais do que tem disponível no orçamento da família, ha três coisas que poderia fazer de modo a ter dinheiro para pagar as dívidas: (a) Gastar menos. Quando for necessário, as despesas podem ser reduzidas às mínimas necessidades de comida e lugar para viver (veja 1 Timóteo 6:6-10). (b) Ganhar mais. Às vezes há oportunidades para trabalhar mais horas, ter um segundo emprego, ou encorajar os filhos adolescentes ou adultos que estejam vivendo no lar a trabalharem. (c) Vender coisas. Os cristãos primitivos vendiam casas e terras para aliviar as necessidades de seus irmãos (Atos 4:32-37); certamente não é irracional esperar que um discípulo de Cristo venda coisas para poder pagar o que deve.0142
Viva dentro dos limites de seu orçamento. A Bíblia adverte sobre a loucura de fazer dívidas: "O rico domina sobre o pobre; quem toma emprestado é escravo de quem empresta" (Provérbios 22:7). A escravidão aos credores é muito penosa; é melhor esperar pacientemente e comprar somente aquelas coisas que se pode pagar.
Comece a aplicar sua renda no sentido de metas espirituais. Temos que chegar a ver tudo o que temos como pertencendo ao Senhor e começar a usar nossos recursos para servi-lo. O Novo Testamento exorta-nos a dar generosa e abundantemente (2 Coríntios 8-9). Conquanto seja verdade que não estamos mais obrigados ao dízimo, não devemos usar isso como uma desculpa para sovinice. Não devemos permitir que nossa oferta seja diminuída pela avareza (2 Coríntios 9:5).
Conclusão
Em todas as áreas da vida, a palavra do Senhor nos fornece a orientação perfeita. Da mesma maneira, no campo financeiro devemos dar ouvidos à sabedoria de Deus revelada na Bíblia. Quando obedecemos os mandamentos do Senhor, recebemos tanto "a promessa da vida presente" como a da vida "futura" (1 Timóteo 4:8). Que sigamos estas instruções!
-por Gary Fisher D101 [Obs.: As citações bíblicas neste artigo são da Nova Versão Internacional (NVI).]
 http://www.estudosdabiblia.net/d101.htm
 
 
Sobre Dízimos e ofertas veja estudos em:
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao7-dvc-dizimoseofertas.htm
 
 
OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Conscientizar-se de que o líder deve ser comprometido com o Reino de DEUS.
Saber que os recursos financeiros na Casa de DEUS devem ser administrados com transparência e fidelidade.
Compreender que as ofertas e dízimos são importantes para a expansão do Evangelho.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor, use o quadro da página seguinte para mostrar aos alunos que os dízimos e as ofertas fazem parte do plano de DEUS para o sustento financeiro da Sua obra na terra. Dízimo é simplesmente devolver ao Senhor o que Ele nos deu. Malaquias 3.6-12 apresenta o dízimo como uma ordem e traz uma promessa para os que a obedecem: "Traze i todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção sem medida". Tanto no Antigo como em o Novo Testamento o povo é convocado a dizimar.
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Malaquias 3.7-12.
 7 Desde os dias de vossos pais, vos desviastes dos meus estatutos e não os guardastes; tornai vós para mim, e eu tornarei para vós, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar? 8 Roubará o homem a DEUS? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. 9 Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a mim, vós, toda a nação. 10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança. 11 E, por causa de vós, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; e a vide no campo não vos será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos. 12 E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o SENHOR dos Exércitos.
 
Palavra Chave:
Contribuição: Em Romanos 12.8 é o ato pelo qual o crente compassivo contribui generosamente com sua renda, a fim de sustentar a igreja em suas necessidades materiais.
   
DÍZIMOS E OFERTASMl 3.10 “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança.”
DEFINIÇÃO DE DÍZIMOS E OFERTAS. A palavra hebraica para “dízimo” (ma’aser) significa literalmente “a décima parte”.
(1) Na Lei de DEUS, os israelitas tinham a obrigação de entregar a décima parte das crias dos animais domésticos, dos produtos da terra e de outras rendas como reconhecimento e gratidão pelas bênçãos divinas (ver Lv 27.30-32; Nm 18.21,26; Dt 14.22-29; ver Lv 27.30). O dízimo era usado primariamente para cobrir as despesas do culto e o sustento dos sacerdotes. DEUS considerava o seu povo responsável pelo manejo dos recursos que Ele lhes dera na terra prometida (cf. Mt 25.15; Lc 19.13).
(2) No âmago do dízimo, achava-se a idéia de que DEUS é o dono de tudo (Êx 19.5; Sl 24.1; 50.10-12; Ag 2.8). Os seres humanos foram criados por Ele, e a Ele devem o fôlego de vida (Gn 1.26,27; At 17.28). Sendo assim, ninguém possui nada que não haja recebido originalmente do Senhor (Jó 1.21; Jo 3.27; 1Co 4.7). Nas leis sobre o dízimo, DEUS estava simplesmente ordenando que os seus lhe devolvessem parte daquilo que Ele já lhes tinha dado.
(3) Além dos dízimos, os israelitas eram instruídos a trazer numerosas oferendas ao Senhor, principalmente na forma de sacrifícios. Levítico descreve várias oferendas rituais: o holocausto (Lv 1; 6.8-13), a oferta de manjares (Lv 2; 6.14-23), a oferta pacífica (Lv 3; 7.11-21), a oferta pelo pecado (Lv 4.1—5.13; 6.24-30), e a oferta pela culpa (Lv 5.14—6.7; 7.1-10).
(4) Além das ofertas prescritas, os israelitas podiam apresentar outras ofertas voluntárias ao Senhor. Algumas destas eram repetidas em tempos determinados (ver Lv 22.18-23; Nm 15.3; Dt 12.6,17), ao passo que outras eram ocasionais. Quando, por exemplo, os israelitas empreenderam a construção do Tabernáculo no monte Sinai, trouxeram liberalmente suas oferendas para a fabricação da tenda e de seus móveis (ver Êx 35.20-29). Ficaram tão entusiasmados com o empreendimento, que Moisés teve de ordenar-lhes que cessassem as oferendas (Êx 36.3-7). Nos tempos de Joás, o sumo sacerdote Joiada fez um cofre para os israelitas lançarem as ofertas voluntárias a fim de custear os consertos do templo, e todos contribuíram com generosidade (2Rs 12.9,10). Semelhantemente, nos tempos de Ezequias, o povo contribuiu generosamente às obras da reconstrução do templo (2Cr 31.5-19).
(5) Houve ocasiões na história do AT em que o povo de DEUS reteve egoisticamente o dinheiro, não repassando os dízimos e ofertas regulares ao Senhor. Durante a reconstrução do segundo templo, os judeus pareciam mais interessados na construção de suas propriedades, por causa dos lucros imediatos que lhes trariam, do que nos reparos da Casa de DEUS que se achava em ruínas. Por causa disto, alertou-lhes Ageu, muitos deles estavam sofrendo reveses financeiros (Ag 1.3-6). Coisa semelhante acontecia nos tempos do profeta Malaquias e, mais uma vez, DEUS castigou seu povo por se recusar a trazer-lhe o dízimo (Ml 3.9-12).

A ADMINISTRAÇÃO DO NOSSO DINHEIRO. Os exemplos dos dízimos e ofertas no AT contêm princípios importantes a respeito da mordomia do dinheiro, que são válidos para os crentes do NT.
(1) Devemos lembrar-nos que tudo quanto possuímos pertence a DEUS, de modo que aquilo que temos não é nosso: é algo que nos confiou aos cuidados. Não temos nenhum domínio sobre as nossas posses.
(2) Devemos decidir, pois, de todo o coração, servir a DEUS, e não ao dinheiro (Mt 6.19-24; 2Co 8.5). A Bíblia deixa claro que a cobiça é uma forma de idolatria (Cl 3.5).
(3) Nossas contribuições devem ser para a promoção do reino de DEUS, especialmente para a obra da igreja local e a disseminação do evangelho pelo mundo (1Co 9.4-14; Fp 4.15-18; 1Tm 5.17,18), para ajudar aos necessitados (Pv 19.17; Gl 2.10; 2Co 8.14; 9.2), para acumular tesouros no céu (Mt 6.20; Lc 6.32-35) e para aprender a temer ao Senhor (Dt 14.22,23).
(4) Nossas contribuições devem ser proporcionais à nossa renda. No AT, o dízimo era calculado em uma décima parte. Dar menos que isto era desobediência a DEUS. Aliás equivalia a roubá-lo (Ml 3.8-10). Semelhantemente, o NT requer que as nossas contribuições sejam proporcionais àquilo que DEUS nos tem dado (1Co 16.2; 2Co 8.3,12; ver 2Co 8.2).
(5) Nossas contribuições devem ser voluntárias e generosas, pois assim é ensinado tanto no AT (ver Êx 25.1,2; 2Cr 24.8-11) quanto no NT (ver 2Co 8.1-5,11,12). Não devemos hesitar em contribuir de modo sacrificial (2Co 8:3), pois foi com tal espírito que o Senhor JESUS entregou-se por nós (ver 2Co 8.9). Para DEUS, o sacrifício envolvido é muito mais importante do que o valor monetário da dádiva (ver Lc 21.1-4).
(6) Nossas contribuições devem ser dadas com alegria (2Co 9.7). Tanto o exemplo dos israelitas no AT (Êx 35.21-29; 2Cr 24.10) quanto o dos cristãos macedônios do NT (2Co 8.1-5) servem-nos de modelos.
(7) DEUS tem prometido recompensar-nos de conformidade com o que lhe temos dado (ver Dt 15.4; Ml 3.10-12; Mt 19.21; 1Tm 6.19; ver 2Co 9.6).
 
"PORQUE SOU DIZIMISTA"
1. Sou Dizimista porque o Dízimo é SANTO. Lv 27.30 Também todos os dízimos da terra, quer dos cereais, quer do fruto das árvores, pertencem ao senhor; santos são ao Senhor. 31 Se alguém quiser remir uma parte dos seus dízimos, acrescentar-lhe-á a quinta parte. 32 Quanto a todo dízimo do gado e do rebanho, de tudo o que passar debaixo da vara, esse dízimo será santo ao Senhor.
2. Sou Dizimista porque quero ser participante das grandes bênçãos. Ml 3.11 Também por amor de vós reprovarei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; nem a vossa vide no campo lançará o seu fruto antes do tempo, diz o Senhor dos exércitos. 12 E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o Senhor dos exércitos.
3. Sou Dizimista porque amo a obra de DEUS na face da Terra. Ml 3.10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança.
4. Sou Dizimista porque não quero ser amaldiçoado.  Ml 3.9 Vós sois amaldiçoados com a maldição; porque a mim me roubais, sim, vós, esta nação toda.
5. Sou Dizimista porque DEUS é dono de tudo. Sl 24.1 Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam.
6. Sou Dizimista porque eu mesmo vou gozá-lo na casa de DEUS. Dt 14.23 E, perante o Senhor teu DEUS, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comerás os dízimos do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer ao Senhor teu DEUS por todos os dias.
7. Sou Dizimista porque mais bem-aventurado é dar do que receber. At 20.35 Em tudo vos dei o exemplo de que assim trabalhando, é necessário socorrer os enfermos, recordando as palavras do Senhor JESUS , porquanto ele mesmo disse: Coisa mais bem-aventurada é dar do que receber.
8. Sou Dizimista porque DEUS ama ao que dá com alegria. 2 Co 9.7 Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque DEUS ama ao que dá com alegria.
9. Sou Dizimista porque tudo vem das Mãos de DEUS. 1Cr 29.14 Mas quem sou eu, e quem é o meu povo, para que pudéssemos fazer ofertas tão voluntariamente? Porque tudo vem de ti, e do que é teu to damos.
10. Sou Dizimista porque não sou avarento. 1 Tm 6.10 Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.
11. Sou Dizimista porque meu rico tesouro está no céus. Mt 6.19-21 19 Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; 20 Mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam. 21 Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração.
12. Sou Dizimista porque tudo que peço recebo. Mt 7.7-9. 7 Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á. 8 Pois todo o que pede, recebe; e quem busca, acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á. 9 Ou qual dentre vós é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra?
13. Sou Dizimista porque obedeço a DEUS. At 5.29 Respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Importa antes obedecer a DEUS que aos homens. Pv 10. 22 A bênção do Senhor é que enriquece; e ele não a faz seguir de dor alguma.
14. Sou Dizimista porque a benção de DEUS é que enriquece. Pv 10:22 A bênção do Senhor é que enriquece; e ele não a faz seguir de dor alguma.
15. Sou Dizimista porque para cada lei, DEUS promete recompensa. Sl 19.7 A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos simples.
16. Sou Dizimista porque receberei de DEUS com a mesma medida. Lc 6. 33 E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que mérito há nisso? Também os pecadores fazem o mesmo.
17. Sou Dizimista porque os pensamentos de DEUS são mais altos que os meus. Is 55.9 Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.
18. Sou Dizimista porque DEUS me escolheu e me nomeou. Jo 15.16 Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.
19. Sou Dizimista porque DEUS diz: "Fazei prova de Mim" . Ml 3.10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança.
20. Sou Dizimista porque minha descendência não vai mendigar o pão. Sl 37.25 Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua descendência a mendigar o pão.
21. Sou Dizimista porque meu salário não será posto em saco furado. Ag 1.6 Tendes semeado muito, e recolhido pouco; comeis, mas não vos fartais; bebeis, mas não vos saciais; vestis-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o para o meter num saco furado.
22. Sou Dizimista porque é minha responsabilidade o sustento da igreja. Ml 3.10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança.
23. Sou Dizimista porque quero ter a consciência tranqüila. 1Tm 1.19 conservando a fé, e uma boa consciência, a qual alguns havendo rejeitado, naufragando no tocante à fé;
24. Sou Dizimista porque tudo o que o homem plantar, isso ceifará.  Gl 6.7 Não vos enganeis; DEUS não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará.
25. Sou Dizimista porque DEUS suprirá todas as minhas necessidades. Fl 4.19 Meu DEUS suprirá todas as vossas necessidades segundo as suas riquezas na glória em CRISTO JESUS .
 
Na verdade na nova aliança tudo o que é meu, não é meu, mas de DEUS, eu administro e aplico na obra.          
                            
" MAIS BEM-AVENTURADA COISA É DAR DO QUE RECEBER!" (JESUS)
"Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam" (Sl 24.1).
 
MORDOMIA CRISTà
Há uma grande diferença entre POSSE e MORDOMIA: DEUS é o possuidor de todas as coisas (Gn 14.19-22; Sl 24.1; 50.1-12; 68.19; 89.11; Ag 2.8). Enquanto Mordomia implica que não somos donos; somos apenas mordomos responsáveis que devem prestar contas (Mt 25.14-30;
Lc 19.11-26). Temos diferentes relações entre dono-mordomo:
a) Vida, o que recebemos (Gn 1.27-28; At 17.25; Tg 1.17).
b) Tempo, o que nos foi outorgado (Pv 24.30-34); Sl 90:12).
c) Talentos, o que nos foi dado para usar (Mt 25.14-30).
d) Possessões, o que nos é confiado (Mt 6.19-21; Co 3.1- 2).
e) Finanças, o que ganhamos com o nosso trabalho (I Co 16.1-2).
Para sermos um bom mordomo são necessários os requisitos:
a) Fidelidade (I Co 4.1-2).
b) Disposição a receber ensino (Sl 27.11).
c) Desejo de servir as pessoas (Rm 12.10-13).
d) Um coração de servo (Gl 5.13).
e) Disposição para dar (Lc 6.38). 
 
AS FINANÇAS 
       A questão financeira tem um tratamento bíblico bastante sério: 
a) Os Evangelho contém mais advertências contra o dinheiro e seu mau uso do que contra qualquer outro assunto.
b) Um em cada seis versículos do N.T. faz alguma referência ao dinheiro.
c) Quase a metade das parábolas de JESUS  tem alguma referência a dinheiro, especialmente advertência contra a cobiça.
d) Judas vendeu CRISTO por dinheiro, que nunca chegou a usá-lo.
e) Satanás na cena da glória da igreja primitiva através do dinheiro, quando se vivia um ambiente de doação (At 5:1-10).
f) O pecado de "Simonia" refere-se a dinheiro e a tentar comprar os dons de DEUS com ele (At 8:14-24).
g)  Riqueza e tradição (Ap 13:16-18), são palavras ligadas ao poder de comprar e vender. Em si o dinheiro não é mau. É o amor ao dinheiro que é a raiz de todos os males (I Tm 6.7- 10). 
 
 
DÍZIMOS E OFERTAS 
As Escrituras dizem o seguinte sobre dízimos e ofertas:
a) Devemos trazer nossos dízimos e ofertas à tesouraria da casa de DEUS (casa do tesouro, Ml 3.7- 12).
b) A casa de DEUS é o lugar onde o povo de DEUS é "alimentado". 
O dízimo é para nossos dias? Sim, tanto no V.T. como no N.T. os participativos devem entregar o dízimo das suas rendas: 
 
O DÍZIMO ANTES DA LEI 
a) Abraão (sob aliança, Gn 14:18-20).
b) Jacó (sob aliança, Gn   28:22). 

O DÍZIMO SOB A LEI: Israel, aliança mosaica (Lv 27.30-33; Nm 18.20-24; 25-32). 

O DÍZIMO SOB A GRAÇA: JESUS  confirmou o dízimo. O dízimo não era da lei, mas antes da lei (Mt 23.33; Lc 11:42; 18.12; Hb 7.1-21). 
"Roubará o homem a DEUS? todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos: Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a mim, vós, toda a nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento n a minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança" (Ml 3.8-10). 
 
   
PRINCÍPIOS DO DAR  - DESTAQUE: O que dá pela LEI, dá por obrigação. O que dá por AMOR, dá por prazer. Louvado seja DEUS. 
  
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Para enriquecer o conhecimento de seus alunos acerca do dízimo, faça a seguinte atividade: Solicite à classe que leia as referências indicadas sobre o dízimo e descubra os propósitos, princípios e verdades relacionadas ao tema na Bíblia.
Lv 27.30-32 - Os dízimos pertencem ao Senhor. O povo deveria dar os dízimos de todos os produtos da terra e dos rebanhos.
Nm 18.21-32 - Um dos propósitos do dízimo era o sustento dos levitas em troca dos serviços prestados na tenda da congregação; por sua vez, os levitas davam os dízimos dos dízimos ao sacerdote.
Dt 14.28,29 - Outro propósito era auxiliar aos necessitados.
Dt 26.25; Ml 3.8,10 - Assim como DEUS dera bênçãos a seu povo, os que as receberam deviam reparti-las com os menos favorecidos. Dar o dízimo, portanto, traria bênçãos divinas, retê-lo traria a maldição.
De início, escreva no quadro de giz apenas as referências. Seus alunos deverão lê-las e interpretar o texto. É natural que tenham dificuldades. Porém, ajude-os com um breve comentário sobre cada texto.
 
 
 
RESUMO DA LIÇÃO 10, O EXERCÍCIO MINISTERIAL NA CASA DO SENHOR
I - A CONTAMINAÇÃO DO MINISTÉRIO
1 . O sacerdote aparentado com o ímpio.
2. Privilégios abusivos (Ne 13.5).
II - A JUSTA INDIGNAÇÃO DO HOMEM DE DEUS
1. A firmeza de um líder.
2. A resposta do povo.
3. O procedimento do líder cristão.
III- HONESTIDADE E TRANSPARÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO
1. A razão da necessidade dos recursos financeiros na igreja.
2. A procedência dos recursos da igreja.
3. Zelo pelos recursos da igreja.
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO - Subsídio Teológico - A Correção dos Abusos nos Serviços do Templo
Outro abuso, cometido quando Neemias se ausentou de Jerusalém, está relacionado com os serviços do Templo e uma adequada manutenção dos levitas e outros funcionários. Não só havia acontecido uma utilização errada das câmaras do santuário - caso da ocupação de Tobias - como em muitas ocasiões as ofertas não haviam sido recebidas. Conseqüentemente, os levitas e até os cantores tinham sido obrigados a voltar ao campo e ganhar a vida na agricultura. Isso significa que, apesar das cuidadosas providências que haviam sido tomadas por Neemias há muito pouco tempo (12.44-47), os serviços do Templo haviam sido negligenciados. Os diversos deveres que eram de responsabilidade dos levitas não eram executados. Neemias discutiu esse assunto com os principais líderes da cidade. Por que se desamparou a casa de DEUS? ele perguntou. Por causa de sua insistência esses abusos foram rapidamente remediados, o povo voltou a trazer seus dízimos e ofertas, homens de confiança foram colocados como responsáveis pelo tesouro do Templo, e foi feita uma adequada provisão para atender às necessidades daqueles que tomavam parte dos serviços" (Comentário Bíblico Beacon. VoI. II.Josué a Ester. 1 .ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p.534).
 
VOCABULÁRIO
Vendilhões: Aquele que trafica coisas de ordem moral. Cambista: Pessoas que negociam obtendo lucros acima do normal.
Recurso: Auxílio; socorro; ajuda.
Abster-se: Deixar de intervir; conter-se; refrear-se.
 
 
LIÇÃO 10, O EXERCÍCIO MINISTERIAL NA CASA DO SENHOR
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 4º TRIMESTRE DE 2011
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas.
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"Ora, além disso, o que se __________________________ dos _______________________ é que cada um deles seja encontrado _______________________".
 
VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
O verdadeiro _________________________ age com sabedoria e _______________________, porque sabe que a sua ______________________________ procede do soberano e único DEUS.
 
INTRODUÇÃO
3- O que é trabalhado pelo ESPÍRITO SANTO, que nos vai tornando, dia a dia, mais útil a DEUS, à sua Igreja e ao próximo (GI 5.22)?
(    ) Nosso caráter.
(    ) Nosso brilho.
(    ) Nosso estado financeiro.
 
I - A CONTAMINAÇÃO DO MINISTÉRIO
4- Cite algumas coisas que começaram a acontecer após o grande avivamento ocorrido em Jerusalém, no SANTO Templo: Complete:
________________________, o sumo sacerdote (Ne 13.28), ignorando as _________________________________ da lei divina, começou a agir permissivamente em relação à administração da Casa de DEUS. Tudo começou quando ele ____________________________-se com a família de _________________________.
 
5- O que acontecerá se nos associarmos ao mundo?
(    ) Em breve estaremos descartando a ética cristã como algo de somenos importância em nossa vida.
(    ) Seremos conquistadores do reino de DEUS.
(    ) Assim, perderemos nossas propriedades de luz do mundo e sal da terra.
 
6- Com que tipo de privilégios abusivos (Ne 13.5), Eliasibe, usando sua influência de maneira profana, veio a beneficiar justamente o arqui-inimigo do povo de DEUS?
(    ) Alojou Tobias nas dependências do SANTO Templo, onde eram guardados os dízimos, as ofertas de manjares, o incenso e os utensílios do culto divino.
(    ) Alojou Tobias nas dependências do SANTO Templo, onde moravam os sacerdotes e as famílias dos mesmos.
(    ) Alojou Tobias nas dependências do SANTO Templo, onde eram guardados os tesouros do templo, as arcas, o incenso e as vestimentas dos sacerdotes.
 
7- O que recomenda Paulo a Timóteo sobre o cuidado e vigilância? Complete:
"Ninguém ________________________________ a tua mocidade; pelo contrário, torna-te _________________________ dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza" (1 Tm 4,12 - ARA). O apóstolo, nessa passagem, deixa bem claro ao jovem pastor, que o homem de DEUS deve ser, em todas as coisas, ________________________________.
 
II - A JUSTA INDIGNAÇÃO DO HOMEM DE DEUS
8- Quanto à firmeza de um líder, o que fez Neemias quando retornou a Jerusalém e compreendeu "o mal que Eliasibe fizera [ao povo de DEUS] para beneficiar a Tobias" (13.7)?
(    ) Fazendo uso de sua autoridade, lançou "todos os parentes de Tobias fora da câmara" do Templo.
(    ) Reagiu àquela situação com zelo e coragem.
(    ) Fazendo uso de sua autoridade, lançou "todos os móveis de Tobias fora da câmara" do Templo.
(    ) O mesmo fez JESUS com os vendilhões e cambistas que haviam transformado a Casa de DEUS num covil de ladrões.
 
9- Qual a resposta do povo à ação e Neemias?
(    ) Essa medida ousada e enérgica de Neemias fez que o povo recobrasse o ânimo e voltasse a contribuir com mais amor e liberalidade: "Então, todo o Judá trouxe os dízimos do grão, e do mosto, e do azeite aos celeiros".
(    ) O povo de DEUS espera que os seus líderes sejam realmente íntegros, transparentes e comprometidos com os negócios do Reino.
(    ) O povo de DEUS espera que os seus líderes sejam realmente sinceros, contentes e descomprometidos com os súditos do Reino.
 
10- O que nos ensina Neemias quanto ao procedimento do líder cristão?
(    ) Que todos nos reconheçam, pois, por nossa elevada posição social e pela repreensibilidade de nossa postura.
(    ) Em primeiro lugar, que amemos a DEUS e sejamos zelosos por suas coisas.
(    ) Agindo assim, jamais toleraremos a corrupção e a desonestidade em nosso meio, pois fomos chamados por DEUS para ser a luz do mundo e o sal da terra.
(    ) Que todos nos reconheçam, pois, por nossa elevada ética e pela irrepreensibilidade de nossa postura.
(    ) À semelhança de Neemias, jamais abusemos da autoridade que nos confiou o Senhor JESUS, mas ajamos com toda sabedoria e prudência.
 
III- HONESTIDADE E TRANSPARÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO
11- Qual a razão da necessidade dos recursos financeiros na igreja?
(    ) Do Senhor é a terra e a sua plenitude, bem como o mundo e todos os seus habitantes.
(    ) Não podemos ignorar que a expansão de seu Reino demanda investimentos humanos e materiais.
(    ) O sustento dos lideres é o principal alvo das finanças na Igreja.
(    ) Na expansão do Evangelho até aos confins da Terra, precisamos de recursos financeiros.
(    ) JESUS e os apóstolos deles necessitaram.
(    ) Não podemos nos esquecer que, na administração de tais recursos, temos de agir com total fidelidade e transparência.
 
12- Qual a procedência dos recursos da igreja?
(    ) O Estado.
(    ) Nossos recursos financeiros não são provenientes do Estado nem de organismos internacionais.
(    ) Eles provêm dos dízimos e das ofertas dos santos.
(    ) Todavia, a ética cristã não é ferida se fundações e centros sociais pertencentes à igreja, e que beneficiam toda a comunidade, receberem dotações do poder público, pois isso está previsto em lei.
(    ) Redobremos nossa vigilância e cuidado, para que nenhum escândalo venha manchar o nosso bom nome.
(    ) Apesar dos recursos extras, não deve a igreja local abster-se de usar os próprios meios na evangelização, na obra missionária e no cuidado com os mais necessitados.
 
13- Como devemos agir com respeito ao zelo pelos recursos da igreja? Complete:
As finanças da igreja local devem ser empregadas com _____________________________, sabedoria e transparência na expansão do Reino de DEUS e no ________________________ aos mais necessitados. Tomando o exemplo de Neemias, administremos os bens que os santos ___________________________ a DEUS com lisura e temor (Pv 1.7). Menos do que isso, é _______________________.
 
CONCLUSÃO
14- Complete:
Se não estivermos comprometidos com a Palavra de DEUS, nossa administração será ______________________ por DEUS e pelos homens. Entre as coisas que mais contribuem para a queda do obreiro (além da sensualidade, da soberba e do poder) está o ________________________ ao dinheiro (l Tm 6.10). Tomemos, pois, o exemplo de Neemias. Ajamos com fidelidade e sabedoria em todas as coisas. E o nome de CRISTO será ___________________________ em nossa vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário