Pesquisa personalizada

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

EBD- LIÇÃO 6 - A EFICÁCIA DO TESTEMUNHO CRISTÃO (Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva)



 
TEXTO ÁUREO
"[...] e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda Judéia e Samaria e até aos confins da terra" (At 1.8).
 
 
VERDADE PRÁTICA
Não fomos chamados apenas para usufruir dos benefícios da salvação, mas também para testemunhar do Salvador a um mundo que jaz no maligno.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda -Mt 5.13,14 - Somos o sal e a luz deste mundo
Terça - Cl 4.5,6 - Temperados com sal nos atos e nas palavras
Quarta - Rm 12.1,2 - Devemos influenciar o mundo
Quinta - Mt 5.16 - luz e as boas obras
Sexta - Jo 8.12 - luz dissipa as trevas
Sábado - At 1.8 - Somos testemunhas do Senhor em todo o lugar
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Mateus 5.13-16; Romanos 12.1,2
Mateus 5
13 - Vós sois o sal da terra; se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nade mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelo homens. 14 - Vós sois a luz do mundo não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; 15 - nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa. 16 - Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus.
Romanos 12
1 - Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de DEUS, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a DEUS, que é o vosso culto-racional. 2 - E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que ex­perimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de DEUS.
 
PALAVRA CHAVE - Testemunho - Demonstração da veracidade de um fato.
 
 
A PRÁTICA DEVE SER AMIGA ÍNTIMA DA TEORIA.
Para que tenhamos uma vida de cristãos bem-sucedida temos que desenvolver tanto, e ao mesmo tempo, as qualidades do Fruto do ESPÍRITO implantados em nós, quando de nossa conversão, quanto desenvolver nossos talentos ou dons espirituais.
O Fruto do ESPÍRITO será a luz para as nações enquanto os dons serão o sal a dar sabor a nossa relação com os, ainda, ou por enquanto, descrentes.
“Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio duma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo” (Fp 2.15).
A ilustração do sal fala do nosso caráter; a luz fala do nosso testemunho. Observe que Cristo falou primeiro do sal da terra e depois da luz do mundo. Assim, o caráter vem antes do testemunho, para que o testemunho tenha crédito do que o ouve.
A luz não se mistura. Mesmo que ela ilumine lixo, sujeira, lamaçal, etc, ela não se contamina.
 
 
INTERAÇÃO
Prezado professor, a lição desta semana tem por objetivo ressaltar que o Senhor JESUS nos chamou para sermos "sal'' e "luz" nesse mundo tenebroso. Uma das propriedades do sal é "preservar". O crente está neste mundo para preservá-lo da corrupção do pecado. Como "luz" fomos chamados para iluminar as trevas e apontar o caminho que pode levar ao céu. Fomos salvos e chamados pelo Senhor JESUS não apenas para usufruir dos benefícios da salvação, mas para testemunhar. Coloquemo-nos como luz em meio às trevas, como astros a refletir a luz de CRISTO. Aproveite o tema da lição para enfatizar a necessidade do bom testemunho.
 
OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Saber que o cristão é o "sal" da terra.
Compreender que o crente é como luz no mundo.
Conscientizar se da importância do testemunho cristão.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor, reproduza o quadro abaixo no data show, retroprojetor ou tire cópias para os alunos. Utilize o quadro depois de concluir os tópicos e II da lição. Peça que um aluno leia o texto bíblico de Mateus 5.13,14 e reforce o fato de que precisamos testemunhar do Senhor em todo lugar, pois somos o sal e a luz deste mundo.
 
 
 
Malaquias 3:3 diz: ''E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata...''

Esse versículo bíblico intrigou umas mulheres de um estudo bíblico e elas ficaram pensando o que essa afirmação significava em relação ao caráter e a natureza de Deus.
Uma delas ofereceu-se para descobrir sobre o processo de refinamento da prata para o próximo estudo bíblico.
Naquela semana, a mulher ligou para um ourives e marcou um horário para assisti-lo trabalhar. Ela não mencionou a razão do seu interesse e só disse estar curiosa para conhecer o processo.
Ela foi assisti-lo. Ele pegou um pedaço de prata e o segurou sobre o fogo, deixando-o esquentar.
Ele explicou que, no refinamento da prata, é preciso que segure-se a mesma bem no centro da chama, onde é mais quente e queima-se as impurezas.
A mulher pensou sobre Deus, que às vezes, segura-nos em situações 'quentes' e pensou novamente no versículo: 'E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata...'
Ela perguntou para o artesão se ele tinha mesmo que ficar sentado o tempo todo na frente do fogo enquanto a prata estava sendo refinada.
Ele disse que sim, que não somente ele tinha que ficar lá, segurando a prata, mas que ele tinha que, também, manter seus olhos na mesma o tempo todo que ela estivesse nas chamas. Se a prata ficasse um minuto a mais no fogo, seria destruída.
A mulher ficou em silêncio por um momento. Então, ela perguntou: 'Como você sabe quando a prata está totalmente refinada?'
Ele sorriu e disse: ''Ah, isso é fácil... É quando eu vejo minha imagem nela.''

Se hoje você está sentindo o calor do fogo, lembre-se que os olhos de Deus estão sobre você e que Ele vai ficar cuidando de ti até que Ele veja Sua imagem em você.
____________________________________________________________________________
 
VAMOS APRENDER COM A LIÇÃO 10 - A BELEZA DO TESTEMUNHO CRISTÃO
AS DISCIPLINAS DA VIDA CRISTÃ
Trabalhando em busca da perfeição
Comentarista: Pr. Claudionor de Andrade
Consultor Doutrinário e Teológico:  Pr. Antônio Gilberto
Complementos e Ajuda para professores e alunos: Ev. Luiz Henrique.
 
 
 
 
TEXTO ÁUREO
"Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de DEUS inculpáveis no meio duma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo" (Fp 2.15).
 
 
VERDADE PRÁTICA
Nosso testemunho tem de ser mais eloqüente do que nossas palavras; somente assim agradará a DEUS.
 
 
 
 
LEITURA DIÁRIA
Mt 5.20- A ética do testemunho cristão; 1 Pe 3.13- O testemunho cristão zela pelo bem; Sl 15- O cântico do testemunho cristão;
Mt 5-7- A legislação do testemunho cristão; Gl 5.22- Os fundamentos do testemunho cristão; Ef 5.1,18-21- A eficácia do testemunho cristão
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: 1 Pedro 3.8-16.
8 E, finalmente, sede todos de um mesmo sentimento, compassivos, amando os irmãos, entranhavelmente misericordiosos e afáveis, 9 não tornando mal por mal ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo, sabendo que para isto fostes chamados, para que, por herança, alcanceis a bênção. 10 Porque quem quer amar a vida e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal, e os seus lábios não falem engano; 11 aparte-se do mal e faça o bem; busque a paz e siga-a. 12 Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos, atentos às suas orações; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem males. 13 E qual é aquele que vos fará mal, se fordes zelosos do bem?14 Mas também, se padecerdes por amor da justiça, sois bem-aventurados. E não temais com medo deles, nem vos turbeis; 15 antes, santificai a CRISTO, como Senhor, em vosso coração; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós, 16 tendo uma boa consciência, para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, fiquem confundidos os que blasfemam do vosso bom procedimento em CRISTO,
 
Testemunho significa uma declaração fundamentada, comprovada, testada, confirmada ou declarada ter visto, ouvido ou conhecido.
Uma das coisas mais importantes na vida de um seguidor de JESUS, que é também chamado de cristão, é o seu testemunho, ou seja, é a vivencia, na prática, daquilo que ele fala ou diz que é.
Não devemos apenas darmos testemunho, mas também sermos testemunhas, foi o que JESUS encomendou aos seus discípulos quando partiu, logo antes do pentecostes: 
At 1.8 Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o ESPÍRITO SANTO, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.
Implica em testemunhar de CRISTO, não apenas sendo parecido com ELE em seu caráter, mas também em sua fé e poder ao pregar o evangelho. Todos os crentes devem ter um alto padrão ético, mas também todos devem ter os sinais poderosos de DEUS os acompanhando em seu testemunho cristão, revelando ao mundo que JESUS está vivo e quer a glorificação e exaltação do Pai através de nós.
Mc 16.17 E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados.
 
Palavra Chave: Testemunho: Testemunho cristão é a postura ética e bíblica que o crente exerce na sociedade em que vive.
 
JESUS - Aprendei de mim...
Jo 12.45 E quem me vê a mim, vê aquele que me enviou.
Paulo - Fp 3.17 Irmãos, sede meus imitadores, e atentai para aqueles que andam conforme o exemplo que tendes em nós;
1Ts 4.1,2 Finalmente, irmãos, vos rogamos e exortamos no Senhor JESUS que, como aprendestes de nós de que maneira deveis andar e agradar a DEUS, assim como estais fazendo, nisso mesmo abundeis cada vez mais.
2Tm 3.14,15 Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, e que desde a infância sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela que há em CRISTO JESUS.
 
Como vemos acima o cristão é representante de CRISTO na Terra, portanto deve ser parecido com O mesmo para que possa desempenhar seu papel de cristão perante sua família, a Igreja e o mundo.
Será que poderíamos dizer: Quem me vê a mim, vê JESUS? Oh! meu DEUS, tenha misericórdia de todos nós!
 
Não basta dar testemunho apenas, mas é preciso ser também testemunha e viver o evangelho de maneira plena, praticando o que se prega e tendo a manifestação do poder de DEUS como selo de autenticidade para nossa pregação.
 
 
 
 
 
 
Mateus 5.13-16; 20 - Lucas 14.34,35; 17-20,21.
Mt 5.13 Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens. 14 Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; 15nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa. 16 Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus. 
 
20 Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos céus.
 
Lc 14.34 Bom é o sal, mas, se ele degenerar, com que se adubará? 35 Nem presta para a terra, nem para o monturo; lançam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça.
 
Lc 17.20 E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o Reino de DEUS, respondeu-lhes e disse: O Reino de DEUS não vem com aparência exterior.21 Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Porque eis que o Reino de DEUS está entre vós.
 
 
 
O cristão como sal da terra e luz do mundo, não só deve ser diferente, mas seu 
comportamento como cristão deve ser um referencial para a sociedade.
 
Mt 5.13 SAL DA TERRA. Os cristãos são o sal da terra . Dois dos valores do sal são: o sabor e o poder de preservar da corrupção. O cristão e a igreja, portanto, devem ser exemplos para o mundo e, ao mesmo tempo, militarem contra o mal e a corrupção na sociedade. 
(1) As igrejas mornas apagam o poder do ESPÍRITO SANTO e deixam de resistir ao espírito predominante no mundo. Elas serão lançadas fora por DEUS ( Ap 3.16). 
(2) Tais igrejas serão destruídas, pisoteadas pelos homens (v.13); i.e., os mornos serão destruídos pelos maus costumes e pelos baixos valores da sociedade ímpia (cf. Dt 28.13,43,48; Jz 2.20-22).

Jo 8.12 EU SOU A LUZ DO MUNDO. JESUS é a luz verdadeira (1.9). Ele remove as trevas e o engano, iluminando o caminho certo para DEUS e a salvação. 
(1) Todos que seguem a JESUS são libertos das trevas do pecado, do mundo e de Satanás. Os que ainda andam nas trevas não o seguem (cf. 1 Jo 1.6,7). 
(2) "Quem me segue" é um gerúndio contendo a idéia de seguir continuamente. 
JESUS, na realidade, disse "seguir-me continuamente". Ele reconhecia somente o discipulado perseverante (ver 8.31).
 
Lc 17.20 E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o Reino de DEUS, respondeu-lhes e disse: O Reino de DEUS não vem com aparência exterior. 21 Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Porque eis que o Reino de DEUS está entre vós.
SE A VOSSA JUSTIÇA. A justiça dos escribas e dos fariseus era exclusivamente exterior. Eles observavam muitas regras, oravam, cantavam, jejuavam, liam as Escrituras e freqüentavam os cultos nas sinagogas. No entanto, substituíam as atitudes interiores corretas pelas aparências externas. JESUS declara aqui que a justiça que DEUS requer do crente vai além disso. O coração e o espírito, e não somente os atos externos, devem conformar-se com a vontade de DEUS, na fé e no amor.
 
 
 
 
A Ética nos Evangelhos. 
No Sermão da Montanha, encontramos as REGRAS BÁSICAS do Reino de DEUS, trazidas por JESUS CRISTO. A Ética do Sermão do Monte e das demais partes do evangelho é tão elevada, que nem mesmo a maioria dos cristãos a têm levado à prática.
Exemplos:
- A justiça do cristão deve exceder a dos escribas e fariseus (Mt 5.20);
- Quem somente olhar para uma mulher, pensando em adulterar com ela, já adulterou (Mt 5.28).
- O falar deve ser sim, sim; não, não. O que disso passa é de procedência maligna (Mt 5.37);
- O certo é amar os inimigos, bendizer os que nos maldizem, fazer bem aos que nos odeiam e orar pelos que nos maltratam (Mt 5.44);
- CRISTO manda que sejamos perfeitos como é nosso Pai que está nos céus (Mt 5.48);
- Não se deve julgar os outros (Mt 7.1);
- Só devemos fazer aos homens o que queremos que eles nos façam (Mt 7.12);
- Se o irmão pecar contra nós, devemos perdoar sempre – (até 70 x 7 - apenas como alegoria) (Mt 18.22);
- É para dar a César o que é de César e a DEUS o que é de DEUS (Mt 22.21);
- Quando o cristão der um banquete (casamento, festa de 15 anos, etc.) não deve convidar só os amigos, os irmãos, os parentes, os vizinhos ricos, mas principalmente “os pobres, os mancos e cegos” (Lc 14.12-13).
 
A Ética nas Epistolas
1) Fazer tudo para a glória de DEUS (1 Co 10.31);
2) Fazer tudo em nome de JESUS, dando graças a DEUS (Cl 3.17);
3) Fazer de todo o coração, como ao Senhor (Cl 3.23);
4) Fazer o que é lícito e conveniente diante de DEUS (1 Co 10.23);
5) Não dar escândalo ao mais fraco (1 Co 8.9-13);
6) Não fazer nada em caso de dúvida (Rm 14.23);
7) Lembrar que vamos dar contas a DEUS de todas as nossas obras (Rm 14.11,12; Ec 11.9).
8) Evitar a aparência do mal (1 Ts 5.22).
  
LUZ E SAL OU SAL E LUZ?
OS EFEITOS RELEVANTES DO SAL
1. O sal nos tempos antigos. JESUS tornava compreensível o seu ensino mediante o uso de recursos simbólicos comuns ao contexto de seus ouvintes (cf. Mt 18.11-13). Assim, Ele trata da relevância cristã, no Sermão do Monte, aludindo inicialmente ao sal, largamente utilizado em todos os estratos sociais nos tempos antigos (cf. Ed 7.21,22; Mc 9.50; Cl 4.6).
Entre outras formas de uso, destacava-se a sua função monetária nas transações comerciais. É tanto que o termo salário deriva do latim salarium, que significa “dinheiro de sal”, como parte do pagamento aos soldados romanos. JESUS, portanto, contextualiza a sua mensagem, utilizando um símbolo comum aos discípulos para que eles compreendessem a importância de sua vida de retidão em meio à sociedade corrupta.
2. O valor médico do sal. Para além do valor nutritivo do sal, principalmente quanto ao sabor dos alimentos (cf. Jó 6.6), há que se considerar, também, o seu elevado valor medicinal. Enquanto o consumo excessivo traz prejuízos ao organismo, a abstenção absoluta e continuada provoca danos à saúde, daí porque o crente não só tem que tornar suas ações espiritualmente palatáveis, no ambiente em que está, como também precisa exercer papel restaurador entre os doentes (cf. Is 61.1; Lm 1.16).
3. O poder de preservação do sal. Todavia, o que mais se destaca, no sal, quanto à relevância do crente no mundo, é o seu poder de preservação. Nos tempos antigos, e até mais recentes, este era o recurso para evitar a deterioração dos alimentos perecíveis, de modo que podiam ser ingeridos a qualquer tempo, sem a perda de seus valores nutricionais. Ora, o mundo não está pior porque as ações do crente submisso ao ESPÍRITO SANTO contribuem para evitar a sua deterioração (cf. 2 Ts 2.1-8).

OS EFEITOS RELEVANTES DA LUZ
1. A luminosidade da luz. Outro símbolo de forte impacto empregado por JESUS foi a luz. Eis algumas lições que podem ser extraídas: 
a) a escuridão não consegue jamais prevalecer ante a luz. Quando esta chega, as trevas desaparecem; 
b) por outro lado, a ausência absoluta de luz permite que a escuridão prevaleça em termos absolutos de modo que nada fica visível aos olhos humanos. Por isso, a afirmação peremptória do Mestre: “Vós sois a luz do mundo” (v.14). Ou seja, o meio de os homens conhecerem na prática a verdade divina é através do testemunho de cada crente.
2. A visibilidade da luz. Pela sua própria natureza a luz tem, ainda, visibilidade. Haja vista os faróis marítimos construídos junto à costa para orientar os navios. Estes, ao contemplá-los, são capazes, mesmo à distância, de ajustar o seu posicionamento na região costeira. Ora, JESUS afirmou que não se põe a candeia debaixo do alqueire (v.15). Visibilidade é a conotação desta assertiva. Isto posto, onde o crente estiver a visibilidade positiva de sua fé tem o efeito de atrair outros a CRISTO.
3. A necessidade da luz. O fato de estarmos acostumados à luz, por outro lado, leva-nos muitas vezes a não compreendê-la como algo essencial à vida. Só quando desaparece damos conta da sua real importância. As plantas, por exemplo, sobrevivem porque metabolizam substâncias orgânicas através da energia oriunda da luz do sol. Na verdade, a Terra depende da energia solar para a sua sobrevivência. Isto significa que só a presença de CRISTO - o sol da justiça - é capaz de pôr ordem no mundo e permitir que os crentes reflitam o brilho dessa luz para trazer vida aos que os cercam (cf. Jo 8.12).
 

O IMPERATIVO DA RELEVÂNCIA CRISTÃ
1. Onde ser relevante. À luz desses dois ricos símbolos entendemos que o testemunho do cristão de uma vida transformada, reta, justa e altruísta tem que se fazer notar em todos os segmentos da sociedade. Assim como o sal e a luz podem ser encontrados e percebidos desde as mais simples choupanas aos mais esplendorosos palácios, desde uma extremidade à outra, porque são indispensáveis à vida, igualmente requer-se dos salvos uma presença ativa e marcante que faça diferença no mundo e demonstre a excelência do evangelho, que é poder de DEUS e salvação para todo o que crê.
2. Como ser relevante. A importância vital desses dois símbolos pode ser notada pelos efeitos que exercem. Se o sal for insípido, perderá totalmente o seu valor (v.13). Se a luz estiver apagada ou escondida, nenhum benefício trará ao ambiente (v.14). Partindo daí, há pelo menos três áreas gerais da relevância cristã.
a) A primeira é a do exemplo. Atitudes e atos falam mais alto do que mil palavras (ver 2 Co 3.2,3). Quando o nosso comportamento não condiz com o que falamos, de nada adiantam eloqüência e verbosidade. A falta de lisura e nitidez em nossas ações levam-nos à perda da credibilidade.
b) A segunda é a do compromisso. Há por aí um evangelho fácil e descomprometido com DEUS, com sua Palavra e com a igreja, onde o deslumbramento de práticas ritualistas está de mãos dadas com a superficialidade da fé ao mesmo tempo em que a visão materialista da vida cristã toma o lugar da renúncia exigida por CRISTO e vislumbrada nas bem-aventuranças (ver Mt 5.1-12; 16.24-26). Todavia, o compromisso de viver os princípios do Reino com todas as suas implicações é parte da relevância do crente no mundo.
c) A terceira é a do serviço. Há três palavras gregas no livro de Atos fortemente relacionadas à relevância cristã: Martiria tem a ver com a disposição do discípulo de CRISTO de dar a própria vida pela causa do evangelho; koinonia define todos os aspectos que envolvem a comunhão entre os crentes, e diaconia expressa em sua dimensão mais profunda o serviço que os salvos dedicam ao próximo. Servir, portanto, é a decorrência natural quando se experimentam a martiria e a koinonia.

 O OBJETIVO DA RELEVÂNCIA CRISTÃ
1. Motivar o testemunho da sociedade. Mas a relevância cristã não é um fim em si mesmo. Visa, entre outras coisas, ocasionar o testemunho dos que são alcançados para que vejam a igreja como um o povo de DEUS. JESUS deixou claro que a luz resplandecente permitiria que as boas obras fossem vistas pelos homens (v.16). Não há nenhum erro em tornar conhecidas as ações da igreja na sociedade desde que o objetivo não seja a auto-glorificação, mas mostrar a sua relevância como um organismo espiritual que atua em favor do bem comum, buscando, sobretudo, a salvação das almas (cf. At 9.36-42).
2. Demonstrar o compromisso da fé. Outra finalidade da relevância cristã é mostrar que a fé tem um perpétuo compromisso com as obras. O ensino de Tiago se ajusta ao de Paulo quando afirma que as obras resultam da fé (ver Tg 2.14-26). Vale ressaltar, inclusive, que, nesta passagem, o termo aparece no contexto da solidariedade ao próximo. Portanto, a legitimidade da fé pode ser dimensionada quando a igreja movida pelo ESPÍRITO SANTO torna-se solidária no sentido de minorar o sofrimento humano.
3. Glorificar a DEUS. Para finalizar, a relevância dos crentes, como sal da terra e luz do mundo, tem como propósito maior glorificar a DEUS (v.16).
Quando o perdido se converte mediante o labor da igreja, DEUS é exaltado em sua glória, pois trata-se do resgate de sua imagem em vidas antes corrompidas pelo pecado.

O sal e a luz são relevantes pelo efeito que exercem.  
Sem eles não haveria qualidade de vida. Portanto, cada cristão deve ser relevante, isto é, brilhar o máximo por JESUS, primar pela excelência espiritual, realçar a distinção entre o crente e o mundo. Com isto todos perceberão que ser crente é muito mais do que freqüentar a igreja. É demonstrar amor pelo próximo na mesma medida de CRISTO (Jo 13.34).
“JESUS chamara seus discípulos para serem pescadores de homens (Mt 4.19). Ele quer que sejam, também, o sal da terra e a luz do mundo: ‘Vós sois o sal da terra’ (v.13). O Mestre proferiu essas palavras afastado das multidões (v.1), mas com o alvo de abençoá-las por intermédio daqueles a quem ensinava.
“Os profetas eram o sal da terra de Canaã; os crentes são o sal de toda a terra, porque devem ir por todo o mundo e pregar o Evangelho. CRISTO disse que um punhado de discípulos seriam o sal da terra.
“Os crentes são o sal da terra porque conservam-na da corrupção, dão gosto ao que é insípido, refrescam e purificam ao que dá mau cheiro espiritual. Não se aplica o sal aos animais vivos, mas à sua carne depois de mortos. CRISTO quer que seus discípulos sejam o sal da terra porque a sociedade humana está morta e, sem esse sal, estraga-se.
‘Vós sois a luz do mundo’ (v.13): o sal opera no interior da massa; a luz opera no exterior. A ilustração do sal fala do nosso caráter; a luz fala do nosso testemunho. Note-se que, como CRISTO falou primeiro no sal da terra e depois na luz do mundo, assim o caráter precede o testemunho. Em que sentido podemos ser a luz do mundo, quando o próprio CRISTO o é (Jo 8.12), e o maior dos profetas testificou que ele mesmo não era? (Jo 1:6-8) A resposta é que brilhamos como luz refletida. CRISTO é como o sol que brilha com a sua própria luz. Nós somos como a lua que brilha com a luz espelhada do sol. CRISTO não disse no Sermão do Monte: ‘Brilhai diante dos homens’, mas disse: ‘Brilhe a vossa luz...’
‘Não são chamados para receber honra para si, mas para que DEUS seja glorificado’ (Fp 2.14, 15).” (Espada Cortante, CPAD, págs. 407- 409)
Após introduzir nas bem-aventuranças as diversas situações em que os cristãos seriam confrontados no seu dia-a-dia, e que exigiriam atitudes coerentes com os valores do Reino de DEUS, CRISTO apontou a relevância cristã, mediante o simbolismo do sal e da luz, como uma característica indispensável aos que servem a DEUS. A partir de então, CRISTO começou a descortinar os princípios éticos que dariam consistência a essa relevância.
 
 
SOMOS CARTAS VIVAS DE CRISTO AO MUNDO:
2Co 4.1,2 Pelo que, tendo este ministério, assim como já alcançamos misericórdia, não desfalecemos; pelo contrário, rejeitamos as coisas ocultas, que são vergonhosas, não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de DEUS; mas, pela manifestação da verdade, nós nos recomendamos à consciência de todos os homens diante de DEUS.
VOCÊ PODE SE RECOMENDAR A SI MESMO DIANTE DOS HOMENS, COMO EXEMPLO DE CRISTÃO?
 
 
 
 
A BUSCA DO PADRÃO ÉTICO DO REINO DE DEUS
1. É parte da responsabilidade cristã. Deve ser o alvo de cada crente, sendo parte de sua responsabilidade cristã. Se o crente não manifesta esse desejo de aperfeiçoar a sua vida cristã a cada dia, nos moldes ensinados por CRISTO no Sermão do Monte, é certo que não tenha experimentado a verdadeira transformação interior ou a tenha perdido no meio do caminho.
2. É resultado exclusivo da graça. Nenhum esforço humano pode produzir não só o ardente desejo, mas também a possibilidade de se experimentar, aqui e agora, essa dimensão ética do Reino de DEUS, só há uma resposta a ser dada: ela é resultado exclusivo da graça (ver Rm 6.1-15).

Eis porque o Senhor afirmou que a nossa justiça precisa exceder a dos escribas e fariseus para que tenhamos entrada no Reino de DEUS (v.20). Eles se apegavam à letra da lei, visando apenas o exterior. Nós temos que estar apegados à CRISTO e, mediante a sua graça e o poder do ESPÍRITO SANTO, desenvolver a capacidade de demonstrar em nossas ações, a partir do coração, que o Senhor vive através de nossa própria vida.  
 
Que fazer para entrar nesse reino, qual a ética deste reino?
Com o propósito de responder essas indagações e estabelecer o padrão de conduta dos cidadãos do Reino, JESUS proferiu um discurso-chave popularmente conhecido como “o Sermão do Monte”.
Este sermão indica que a vida com CRISTO requer a substituição do nosso padrão de justiça pelo padrão de justiça de DEUS. JESUS ensinou que a felicidade por Ele oferecida não deve depender do que temos ou fazemos, mas do que somos; e não pode ser importada, mas precisa nascer da alma, do interior.
Podemos concluir, através desse magistral sermão que, se quisermos alcançar a felicidade nesta vida e a eternidade, não nos resta outra alternativa, senão, atentarmos para todos os sublimes ensinamentos do majestoso Filho de DEUS.
 
Devemos reconhecer que o único meio para viver o elevado padrão ético desejado por DEUS para o seu povo é a graça.
Ao contrário do que muitos pensam, seguir a JESUS e submeter-se ao seu Reino não significa anular nossa vida pessoal, mas descobrir uma nova dimensão de vida; mais profunda, dinâmica e feliz.
A GARANTIA DA POSSE DO REINO DE DEUS
Se dá pela nossa disposição de entrar pela porta estreita que conduz ao caminho apertado (Lc 13.24). Não obstante o elevado padrão que ele propõe, o Sermão do Monte não pode ser avaliado como um compêndio de regras para nos impor um fardo maior do que podemos carregar e, desta maneira, tornarmo-nos ainda mais cansados do que estávamos antes de receber o Evangelho. Seria contradizer o próprio ensino do Mestre (ver Mt 11.28-30).
Os princípios deste magistral discurso nos apontam os referenciais do Reino, salientando que eles vão além do exterior e descem ao coração, que simboliza o centro de nossos sentimentos e vontades, onde CRISTO está entronizado.
É pelos bons frutos que se qualifica a procedência e pelos quais se conhece a "boa árvore".
O que prevalece é o compromisso com os princípios do Reino, e não os aparentes sinais exteriores de espiritualidade.

CONSEQÜÊNCIAS DO DESPREZO AO REINO DE DEUS
1. Entrada pela porta espaçosa.
2. Construção sobre o movediço alicerce. 

CONCLUSÃO
Os ouvintes de CRISTO o compreenderam e se admiraram de sua doutrina (v.28).
"O propósito de CRISTO é que as exigências espirituais da Lei de DEUS se cumpram na vida de seus seguidores (Rm 3.31; 8.4). 
Devemos viver como sal e não como doce na sociedade corrompida em que vivemos. Sal na ferida dói, mas sara. Não concordemos e nem apoiemos mais os pecados dessa geração perversa. Levemos sal para conservarmos pelo menos alguns para o grande dia em que nos encontraremos com nosso Salvador amado.
Devemos brilhar , levar luz onde há trevas e não apenas ficarmos esperando os prisioneiros das trevas virem para a luz.
  
 
 
SINOPSE DO TÓPICO (1) Testemunho cristão é a postura ética e bíblica que o crente exerce na sociedade em que vive. É, segundo a Bíblia, a santidade cristã em toda maneira de viver.
SINOPSE DO TÓPICO (2) Os principais objetivos do testemunho do crente são: glorificar a DEUS, protestar contras as más obras, agir como luz no mundo e ajudar na propagação do Evangelho.
SINOPSE DO TÓPICO (3) O testemunho cristão consiste no bom procedimento no lar, na sociedade e com as autoridades constituídas.
 
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO - Subsídio Devocional
"A integridade e a comunidade evangélica"
Charles Colson tem razão quando nos lembra que muitas pessoas tomam uma resolução acerca do evangelho baseado em nosso estilo de vida. Todos conhecemos pessoas que nos dizem que foram 'desligadas' pela igreja, em virtude de falta de integridade ou por farisaísmo hipócrita. Não precisamos rememorar os escândalos envolvidos com pessoas ocorridos nos anos oitenta para testemunhar a perda de integridade dentro da igreja cristã [...] Se for verdade que DEUS honra a integridade, devemos nos esforçar em favor desta virtude mesmo a grande custo pessoal. Se os cristãos não forem conhecidos pela integridade através de seu testemunho cristão, é duvidoso que sejamos conhecidos por outra coisa. A integridade está no centro de famílias fortes; é o fundamento de ministérios eficazes e de nosso testemunho no mundo."
(LUTZER, Erwin W. Quem é você para julgar? Rio de Janeiro: CPAD, 2005, pp.237-39.)
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
WILKERSON, D. Como receber mais de JESUS. 9.ed., RJ: CPAD, 2002.
 
========================================================================
VOLTEMOS À NOSSA LIÇÃO 6
 
A Eficácia do Testemunho Cristão
 
RESUMO DA LIÇÃO 6 - A Eficácia do Testemunho Cristão
I. O CRISTÃO COMO SAL DA TERRA
1. A função de preservar.
2. A função de temperar.
3. Preservando e temperando o mundo.
II. O CRISTÃO COMO LUZ DO MUNDO
1. A luz.
2. O "Pai das luzes".
3. A manifestação da Luz pelas boas obras.
III. O TESTEMUNHO DO CRENTE
I. No campo missionário.
2. Em sua comunidade.
3. Na igreja local.
 
SINOPSE DO TÓPICO (1) JESUS utilizou o sal como símbolo para descrever a função do crente neste mundo pecaminoso: preservar e temperar.
SINOPSE DO TÓPICO (2) O crente deve difundir a luz de CRISTO neste mundo.
SINOPSE DO TÓPICO (3) O crente é chamado a testemunhar e a realizar boas obras a fim de que o nome de DEUS seja exaltado.
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I - Subsidio Bibliológico
"JESUS Ensina Sobre o Sal e a Luz
'A pergunta de JESUS: 'Se o sal for insípido, com que se há de salgar?' não requer uma resposta, pois todos sabem que, uma vez que o sal se deteriora, já não pode mais ser usado para conservar os alimentos. Assim como o sal con­serva e realça o melhor sabor dos alimentos, os crentes devem ser o sal da terra e influenciar as pessoas positivamente. JESUS disse aos seus discípulos que se quisessem fazer a diferença no mundo, também te­riam que ser diferentes do mundo. DEUS iria considerá-los responsá­veis por manter a sua 'salinidade' (isto é, a sua utilidade). Devemos ser diferentes se quisermos fazer a diferença.
'Vós sois a luz do mundo'. Assim como o sal faz a diferença no alimento das pessoas, a luz faz a diferença no seu ambiente. Mais tarde JESUS explicou: 'Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida' (Jo 8.1 2). Os discípulos de CRISTO devem viver para CRISTO, bri­lhando como 'uma cidadeedificada sobre um monte', de forma que todos possam vê-los. Deverão ser como luzes em um mundo escuro, mostrando claramente como CRISTO é. Como JESUS CRISTO é a luz do mundo, os seus seguidores devem refletir a Sua luz (Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal. I ed. VI. 1. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p.38).
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
Comentário do Novo Testamento Aplicação Pessoal.
Rio de Janeiro: CPAD, 2009.
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsidio Bibliográfico.
"Se quisermos restaurar o nosso mundo, em primeiro lugar devemos nos libertar da noção confortável de que o cristianismo é uma mera experiência pessoal, que se aplica somente à vida provada de alguém. 'Nenhum homem é uma ilha', escreveu o poeta cristão John Donne. Mas um dos grandes mitos de nossos dias é o de que nóssomos ilhas - que as nossas decisões são pessoais e que ninguém tem o direito de nos dizer o que fazer nas nossas vidas particulares. Nós nos esquecemos facilmente de que cada decisão particular contribui para o ambiente moral e cultural em que vivemos [...]. Os cristãos são salvos não apenas de alguma coisa (o pecado), mas também para alguma coisa (a soberania de CRISTO sobre toda a vida). A vida cristã começa com a restauração espiritual, que DEUS opera pela pregação da sua Palavra, da oração, da adoração e do exercício dos dons espirituais em uma igreja local. Este é apenas o começo indispensável, pois somente a pessoa redimida pode ser cheia do ESPÍRITO de DEUS e pode verdadeiramente conhecer e realizar o plano de DEUS. Mas então devemos proceder à restauração de toda a criação de DEUS, o que inclui as virtudes privadas e públicas; a vida pessoal e familiar; a educação e a comunidade; o trabalho, a política e a lei; a ciência e a medicina; a literatura, a arte e a música. Este objetivo redentor permeia tudo o que fizermos, porque não existe uma linha divisória invisível entre o que é sagrado e o que é secular. Devemos trazer 'todas as coisas' sob a soberania de CRISTO, em casa e na escola, na palestra e na reunião de trabalho, no conselho municipal e na câmara legislativa
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 6 - A Eficácia do Testemunho Cristão
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 3º TRIMESTRE DE 2011
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas.
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"[...] e ser-me-eis _______________________________ tanto em _____________________________ como em toda Judéia e Samaria e até aos ________________________ da terra" (At 1.8).
 
VERDADE PRÁTICA
Não fomos ___________________________ apenas para usufruir dos __________________________ da salvação, mas também para _________________________ do Salvador a um mundo que jaz no maligno.
 
INTRODUÇÃO
2- Complete:
Na lição de hoje, veremos que JESUS fez uso de dois conhecidos símbolos — o sal e a luz — para descrever a __________________________ função do crente neste mundo tenebroso. Como sal da terra e luz do mundo, o crente, pelo ESPÍRITO SANTO, ___________________________ os perdidos até CRISTO, o Salvador. É nossa responsabilidade _________________________________, dar sabor e preservar o mundo da corrupção.
 
I. O CRISTÃO COMO SAL DA TERRA
3- Como age o sal?
(    ) Eliminar é a função extraordinária do sal.
(    ) Preservar é uma das funções primordiais do sal.
(    ) O sal age como um anti-séptico natural, evitando a decomposição dos alimentos.
 
4- Por que JESUS usou a metáfora do sal para ensinar aos discípulos, e também a nós, que devemos ter uma atuação preservadora no mundo, onde os padrões morais são cada vez mais baixos?
(    ) Como crentes, devemos ser santos em toda a nossa maneira de agir, pensar e falar.
(    ) Porque JESUS estava preocupado com nossas posses neste mundo.
(    ) Nenhuma palavra torpe deve sair dos nossos lábios, pois, conforme afirma o apóstolo Paulo em sua epístola aos Colossenses 4.6.
(    ) A nossa palavra deve ser sempre agradável e temperada com sal, para que saibamos responder a cada um como convém (Colossenses 4.6).
 
5- Como é a função de temperar, na vida do crente? Complete:
O sal realça o sabor dos alimentos, porém ele deve ser usado com ___________________________, pois se, por um lado, uma comida sem sal é insípida, por outro, um alimento salgado é insuportável e prejudicial à saúde. O crente deve ser como o sal, ou seja, trazer sabor e ________________________ à vida daqueles que estão angustiados, deprimidos, desesperados e que não encontram solução para os seus problemas e frustrações. Para ser sal neste mundo é necessário que o crente ore, tenha prazer em meditar na Palavra de DEUS, participe das reuniões de culto ao Senhor, _________________________ e demonstre esse amor ajudando ao próximo (Tg2.14-26). Viva de modo equilibrado e ______________________________ na presença de DEUS, pois há muitas pessoas que precisam de você (Lc 7.31 -35).
 
6- Como devemos preservar e temperar o mundo?
(    ) Uma sociedade deteriorada pelo pecado necessita de crentes autênticos, santos, honrados e que testemunhem ousadamente de JESUS.
(    ) Primemos pela retidão e pela conduta ilibada no lar, na escola, no trabalho, na vizinhança, na igreja, etc.
(    ) Devemos nos contextualizar com os pecadores em tudo para que ouçam o evangelho.
(    ) O crente que anda segundo a Palavra de DEUS leva as pessoas ao Salvador.
 
7- Como agem os que não têm sal?
(    ) Não entram e impedem outros de entrarem no Reino de DEUS.
(    ) Escandalizam a obra do Senhor e motivam os ímpios a murmurarem contra DEUS.
(    ) Apesar de crentes, são irresponsáveis, preguiçosos, desonestos, caluniadores, etc.
(    ) Apesar de não serem totalmente crentes, ajudam as pessoas a se converterem.
 
8- O que a ética do Reino exige de nós?
(    ) Um alto nível de comportamento em relação ao mundo; eis o nosso supremo alvo.
(    ) Somente assim a nossa pregação tornar-se-á legitimamente eficaz.
(    ) Exige que também sejamos uniformes com os pecadores em seus atos.
 
II. O CRISTÃO COMO LUZ DO MUNDO
9- Por que devemos ser luz?
(    ) Porque podemos tornar a escuridão em penumbra.
(    ) Assim como o sal faz a diferença na alimentação, a luz também é fundamental em um ambiente.
(    ) Certa vez, o Senhor JESUS afirmou: "Eu sou a luz', do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida".
(    ) A luz simboliza clareza, transparência, conhecimento, direção e revelação divina.
(    ) Assim como a lua reflete a luz do sol, o crente deve resplandecer os raios do "Sol da Justiça" num mundo escurecido pelas injustiças e pecado.
(    ) Não podemos nos esquecer de que as trevas jamais podem sobrepujar a luz porque quando esta chega, a escuridão desaparece.
 
10- Quem é o "Pai das luzes"?
(    ) Na Bíblia, DEUS é chamado de "Pai das luzes".
(    ) Esta expressão mostra DEUS como o Criador das luzes do universo (o sol, a lua e as estrelas), bem como o Pai de toda a iluminação espiritual.
(    ) Mostra-nos a prática que DEUS fez e manteve todos as criaturas como luz para iluminar o mundo.
 
11- De que maneira o cristão é luz?
(    ) Sempre que as trevas tiverem desaparecido.
(    ) O verdadeiro cristão deve ser luz no Senhor.
(    ) Antes éramos trevas, mas agora somos luz no Senhor.
(    ) Devemos andar como filhos da luz e como "astros no mundo".
(    ) Estar na luz indica possuir a graça plena de DEUS para uma vida santa.
(    ) O cristão é como "uma cidade edificada sobre um monte", exposto o tempo todo perante o mundo.
(    ) Somos chamados por DEUS para iluminar a sociedade em que vivemos.
 
12- De que maneira a luz é manifestada?
(    ) Quando apresentamos as boas obras à sociedade onde vivemos.
(    ) Ser discípulo significa difundir a luz de CRISTO.
(    ) A luz é manifestada pela presença das trevas.
(    ) É através destas boas obras que a nossa luz deve brilhar. Então, o Eterno DEUS será glorificado.
 
III. O TESTEMUNHO DO CRENTE
13- Como é o testemunho do cristão no campo missionário?
(    ) O mundo é o nosso campo missionário, o lugar onde a nossa fé é provada e evidenciada mediante o que falamos e fazemos.
(    ) A vida cristã não deve restringir-se ao templo onde, semanalmente, reunimo-nos para adorar a DEUS.
(    ) A nossa fé deve ser irradiada por intermédio de uma vida santa e frutífera.
(    ) Somos chamados a influenciar e transformar o mundo através de CRISTO JESUS.
(    ) No campo missionário o crente deve se manter afastado de todos para que não se contamine.
 
14- Como deveria ser o testemunho do cristão em sua comunidade? Complete:
Ser sal e luz numa sociedade como a nossa implica na ___________________________ de falar de CRISTO aos milhões que perecem por não terem aceitado ainda o Evangelho. Quem não se ____________________________ ao ouvir notícias de que adolescentes e jovens morrem todos os dias devido às drogas e ao álcool? Eles precisam desesperadamente do ___________________________. Quem não se angustia em saber que, neste exato momento, há milhares de pessoas, no Brasil, vivendo em extrema miséria _____________________________, moral e material? E muitas destas pessoas estão morrendo ao nosso lado. Ignorar tal realidade e não fazer nada para amenizar essa situação é pecado: "Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz, nisso está _____________________________" (Tg 4.1 7-ARA).
 
15- A Palavra de DEUS nos ensina que a manifestação da luz de CRISTO, através de nossas boas obras, tem qual finalidade?
(    ) Glorificar o Pai Celestial.
(    ) Quando a nossa mensagem coaduna-se às ações que praticamos, o nome do Senhor é exaltado.
(    ) Principalmente a finalidade de nos exaltar.
 
CONCLUSÃO
16- Complete:
O sal preserva, dá sabor e equilíbrio à ________________________. O sal representa o nosso ___________________________; a luz fala do nosso _________________________. Levemos a sério o ensino de JESUS em relação às metáforas do sal e da luz. Sem perda de tempo, realizemos as _______________________ obras para as quais fomos chamados (Ef 2.10). Não podemos desperdiçar a oportunidade de testemunhar de ___________________________, iluminar o mundo e fazer o bem (Tg 4.1 7).

Nenhum comentário:

Postar um comentário