Pesquisa personalizada

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

LIÇÃO 7, A ORAÇÃO DA IGREJA E O TRABALHO DO ESPÍRITO SANTO


Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 4º Trimestre de 2010
O PODER E O MINISTÉRIO DA ORAÇÃO
O relacionamento do cristão com DEUS
Comentários da revista da CPAD: Pr. Eliezer de L. e Silva
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD: Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
QUESTIONÁRIO
 
 
TEXTO ÁUREO
“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações” (At 2.42).
 
 
VERDADE PRÁTICA
A expansão contínua do evangelho completo é um distintivo da igreja que não se descuida da oração.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - At 1.24,25 A escolha de obreiros através da oração
Terça - At 4.31 A igreja foi cheia do ESPÍRITO em oração
Quarta - At 12.11-14 A igreja ora por livramento
Quinta - At 13.2-4 - A oração expande a obra missionária
Sexta - At 20.36-38 - Uma oração comovente da igreja
Sábado - At 28.8,9 - A oração por cura divina
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Atos 1.12,14; 2.4,38,40,41; 4.32
Atos 1.12 Então, voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, o qual está perto de Jerusalém, à distância do caminho de um sábado.
Atos 1.14 Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria, mãe de JESUS, e com seus irmãos.
Atos 2.4 E todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO e começaram a falar em outras línguas, conforme o ESPÍRITO SANTO lhes concedia que falassem.
Atos 2.38 E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de JESUS CRISTO para perdão dos pecados, e recebereis o dom do ESPÍRITO SANTO.
Atos 2.40 E com muitas outras palavras isto testificava e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.
Atos 2. 41 De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e, naquele dia, agregaram-se quase três mil almas.
Atos 4. 32 E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns.
 
Leia http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/atos.htm
Uma igreja que cresce não só em número de pessoas, mas em qualidade espiritual, só será possível com muita oração e jejum. É interessante que o jejum está atrelado à oração assim como a leitura bíblica ao estudo da mesma.
Mt 16.9.15 E ENTÃO JEJUARÃO. Fica claro que Jesus esperava que os crentes jejuassem depois da sua partida. Os dias da ausência do Noivo são a presente era, que começou no momento da ascensão de Jesus até à sua volta. A igreja espera essa volta do Noivo (25.6; ver Jo 14.3). O jejum nesta era é muito importante para chamar a presença de JESUS em nosso meio através do ESPÍRITO SANTO.
Se colocarmos nosso corpo como sendo o odre e o vinho como sendo o ESPÍRITO SANTO, então teremos que alguém só poderá ser cheio do ESPÍRITO SANTO quando se esvaziar do mundo, das concupiscências da carne e do excesso de alimento, ou seja, quando esvaziamos o corpo e o tornamos fraco pela falta de alimento, então o ESPÍRITO SANTO terá mais liberdade de agir em nossa vida e de nos encher de sua poderosa unção.
 
(1) um sinal do anseio do crente pela volta do seu Senhor; 
(2) uma preparação para sua volta; 
(3) um pesar por sua ausência; 
(4) um sinal de tristeza pelo pecado e decadência do mundo (ver 6.16).
(5) um meio de intercessão a favor de outrem ou de uma nação, junto a DEUS, desejando a ação de CRISTO imediata.
1 Co 9.27 Antes, subjugo o meu corpo e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.
Gl 6.17 Desde agora, ninguém me inquiete; porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus.
Só se busca a presença do ESPÍRITO SANTO pela oração, sua ação ou unção está condicionada à oração confiante, através da fé em sua presença e poder operante.
Só se ganha multidões para CRISTO através da manifestação poderosa do ESPÍRITO SANTO, com milagres e operações de poder, ou seja, da manifestação do dons do ESPÍRITO SANTO.
Esse é o padrão da igreja desde os seus primórdios porque seguia o exemplo de JESUS.
Maria Madalena só se converteu após ser liberta por JESUS do poder de Satanás.
A mulher samaritana só se converteu após o Dom Palavra de Conhecimento ser manifestado através de JESUS.
As multidões acompanhavam JESUS mais por causa dos sinais do que pelo evangelho e ELE mesmo sabia disso.
A igreja recebeu o ESPÍRITO SANTO quando creu, mas só será uma igreja bem sucedida quando for cheia e revestida pelo ESPÍRITO SANTO.
Os resultados são completamente diferentes entre uma igreja que é pentecostal e uma que não é.
A coragem para pregar.
A alegria ao pregar.
O poder ao pregar.
As manifestações ao pregar.
A quantidade de almas a responder à pregação.
 
PERSEVERAVAM UNANIMEMENTE EM ORAÇÃO E SÚPLICAS.
A experiência do Pentecoste sempre envolve a responsabilidade humana. Aqueles que desejam o derramamento do ESPÍRITO em sua vida, para terem poder para realizar a obra de DEUS, devem colocar-se à disposição do ESPÍRITO SANTO mediante sua submissão à vontade de DEUS e à oração (v. 4; 2.38; 9.11-17; cf. Lc 11.5-13; 24.49; Is 40.29-31). Note os paralelos entre a vinda do ESPÍRITO sobre JESUS e os discípulos.
(1) O ESPÍRITO desceu sobre eles depois que oraram (Lc 3.21,22; At 1.14; 2.2-4).
(2) Houve manifestações visíveis do ESPÍRITO (Lc 3.22; At 2.2-4).
(3) Os ministérios, tanto de JESUS como dos discípulos, começaram depois do ESPÍRITO SANTO vir sobre eles (cf. Mt 3.16 com 4.17; Lc 3.21,22 com 4.14-19; At 2.14-47).
CHEIOS DO ESPÍRITO SANTO. Qual é o significado da plenitude do ESPÍRITO SANTO recebida no dia de Pentecoste?
(1) Significou o início do
cumprimento da promessa de DEUS em Jl 2.28,29, de derramar seu ESPÍRITO sobre todo o seu povo nos tempos do fim (cf. 1.4,5; Mt 3.11; Lc 24.49; Jo 1.33; ver Jl 2.28,29).
(2) Posto que os últimos dias desta era já começaram (v. 17; cf. Hb 1.2; 1 Pe 1.20), todos agora se vêem ante a
decisão de se arrependerem e de crerem em CRISTO (3.19; Mt 3.2; Lc 13.3; ver At 2.17).
(3) Os discípulos foram do alto... revestidos de poder (Lc 24.49; cf. At 1.8), que os capacitou a testemunhar de CRISTO, a produzir nos perdidos grande convicção no tocante ao pecado, à justiça, e ao julgamento divino, e a desviá-los do pecado para a salvação em CRISTO (cf. 1.8 notas; 4.13,33; 6.8; Rm 15.19; ver Jo 16.8).
(4) O ESPÍRITO SANTO já revelou sua natureza como aquele que anseia e pugna pela salvação de pessoas de todas as nações e aqueles que receberam o batismo no ESPÍRITO SANTO ficaram cheios do mesmo anseio pela salvação da raça humana (vv. 38-40; 4.12,33; Rm 9.1-3; 10.1). O Pentecoste é o início das missões mundiais (1.8; 2.6-11,39).
(5) Os discípulos se tornaram ministros do ESPÍRITO. Não somente pregavam JESUS crucificado e ressuscitado, levando outras pessoas ao arrependimento e à fé em CRISTO, como também influenciavam essas pessoas a receber o dom do ESPÍRITO SANTO (vv. 38,39) que eles mesmos tinham recebido no Pentecoste (v. 4). Levar outros ao batismo no ESPÍRITO SANTO é a chave da obra apostólica no NT (ver 8.17; 9.17,18; 10.44-46; 19.6).
(6) Mediante este batismo no ESPÍRITO, os seguidores de CRISTO tornaram-se continuadores do seu ministério terreno.
Continuaram a fazer e a ensinar, no poder do ESPÍRITO SANTO, as mesmas coisas que JESUS começou, não só a fazer, mas a ensinar (1.1; Jo 14.12; ver o estudoSINAIS DOS CRENTES)
COMEÇARAM A FALAR EM OUTRAS LÍNGUAS. Para um exame do significado do falar em línguas ocorrido no dia de Pentecoste e noutras
ocasiões, na igreja do NT, e da possibilidade de falsas línguas estranhas, ver o estudo O FALAR EM LÍNGUAS.
 
 
O DISCURSO DE PEDRO NO DIA DE PENTECOSTE. O discurso de Pedro no dia de Pentecoste, juntamente com sua mensagem em 3.12-26, contém um padrão
para a proclamação do evangelho.
(1) JESUS é o Senhor e CRISTO crucificado, ressurreto e exaltado (vv. 22-36; 3.13-15).
(2) Estando agora à destra do Pai, JESUS CRISTO recebeu autoridade para derramar o ESPÍRITO SANTO sobre todos os crentes (vv. 16-18,32,33; 3.19).
(3) Todos devem colocar sua fé em JESUS como Senhor, arrepender-se dos seus pecados e ser batizados, demonstrando o perdão dos pecados (vv. 36-38; 3.19).
(4) Os crentes devem esperar o prometido dom do ESPÍRITO SANTO, ou o batismo nEle, uma vez tendo crido e se arrependido (vv. 38,39).
(5) Aqueles que atenderem com fé, devem separar-se do mundo e salvar-se dessa geração perversa (v. 40; 3.26).
(6) JESUS CRISTO voltará para restaurar completamente o reino de DEUS (3.20,21).
DITO PELO PROFETA JOEL. O batismo no ESPÍRITO SANTO e as manifestações espirituais acompanhantes são cumprimentos de Jl 2.28,29. Joel, no século VIII a.C.,
profetizou um grande derramamento do ESPÍRITO SANTO sobre todo o povo de DEUS (ver Jl 2.28,29).
NOS ÚLTIMOS DIAS.
(1) No AT os últimos dias eram tidos como o tempo em que o Senhor agiria poderosamente, julgando o mal e concedendo salvação ao seu povo
(cf. Is 2.2-21; 3.18 4.6; 10.20-23; Os 1.2; Jl 1.3; Am 8.9-11; 9.9-12).
(2) O NT revela que os últimos dias começaram com a primeira vinda de CRISTO e o derramamento inicial do ESPÍRITO sobre o povo de DEUS, e que terminarão com a segunda vinda do Senhor (Mc 1.15; Lc 4.18-21; Hb 1.1,2). Este período específico é caracterizado como a era do juízo contra o mal, da autoridade sobre os demônios, da salvação da raça humana e da presença aqui do reino de DEUS.
(a) Estes últimos dias serão assinalados pelo poder do ESPÍRITO SANTO (Mt 12.28).
(b) Os últimos dias abrangem a investida do poder de DEUS, através de CRISTO, contra o domínio de Satanás e do pecado. Mesmo assim, a guerra apenas começou; não chegou ao fim, pois o mal e a atividade satânica ainda estão fortemente presentes (Ef 6.10-18). Por isso, somente a segunda vinda de JESUS aniquilará a atividade do poder maligno e encerrará os últimos dias (cf. 1 Pe 1.3-5; Ap 19).
(c) Os últimos dias serão um período de testemunho profético, conclamando todos a se arrependerem, crerem em CRISTO e experimentarem o derramamento do ESPÍRITO SANTO (1.8; 2.4,38-40; Jl 2.28-32). Devemos proclamar a obra salvífica de CRISTO, no poder do ESPÍRITO, mesmo enquanto antevemos o dia final da ira (Rm 2.5), i.e.: o grande e glorioso Dia do Senhor (2.20b). Devemos viver todos os dias em vigilância, esperando o dia da redenção e a volta de CRISTO para buscar o seu povo (Jo 14.3; 1 Ts 4.15-17).
(d) Os últimos dias introduzem o reino de DEUS com sua demonstração de pleno poder (ver Lc 11.20). Devemos ter a plenitude desse poder no conflito contra as forças espirituais do mal (2 Co 10.3-5; Ef 6.11,12) e no sofrimento por causa da justiça (Mt 5.10-12; 1 Pe 1.6,7).
VOSSOS FILHOS E AS VOSSAS FILHAS PROFETIZARÃO. Aqui o falar noutras línguas (vv. 4,11) está relacionado à profecia (vv. 17,18). Deste modo, falar em
línguas é uma forma de profetizar. O significado básico aqui, de profecia, é o uso da nossa voz para o serviço e a glória de DEUS sob o impulso direto do ESPÍRITO SANTO. No
livro de Atos:
(1) os 120 todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO e começaram a falar em outras línguas, conforme o ESPÍRITO SANTO lhes concedia que falassem (2.4);
(2) o ESPÍRITO SANTO desceu sobre Cornélio e sua casa. Todos, entre eles Pedro, os ouviam falar em línguas e magnificar a DEUS (10.44-47); e (3) os discípulos em Éfeso, quando veio sobre eles o ESPÍRITO SANTO; e falavam línguas e profetizavam (19.6).
MEUS SERVOS E MINHAS SERVAS. Segundo a profecia de Joel, citada por Pedro, o batismo no ESPÍRITO SANTO é para aqueles que já pertencem ao reino de DEUS,
i.e., servos de DEUS, ou crentes; tanto homens como mulheres salvos, regenerados, pertencentes a DEUS.
NAQUELES DIAS. Pedro, citando Joel, diz que DEUS derramará seu ESPÍRITO naqueles dias . O derramamento do ESPÍRITO SANTO e os sinais sobrenaturais que o
acompanham, não podem ser limitados unicamente ao dia de Pentecoste. O poder e a bênção do ESPÍRITO SANTO são para todo cristão receber e experimentar, no decurso de toda a era da igreja, que é a totalidade do período de tempo entre a primeira e segunda vinda de CRISTO (Ap 19.20; ver At 2.39).
PELA DESTRA DE DEUS. O derramamento do ESPÍRITO SANTO por JESUS comprova que Ele é de fato o Messias exaltado e que agora está à destra de DEUS,
intercedendo pelos seus representantes na terra (Hb 7.25).
(1) Desde o batismo de JESUS até o dia de Pentecoste, o ESPÍRITO estava sobre o CRISTO (i.e., o Ungido de DEUS; cf. Lc 3.21,22; 4.1,14,18,19). Estando JESUS agora à direita de DEUS, vive para derramar o mesmo ESPÍRITO sobre aqueles que nEle crêem.
(2) Ao derramar o ESPÍRITO, a intenção de JESUS é que o Consolador transmita sua presença aos crentes e lhes conceda poder para continuarem a fazer tudo aquilo que Ele mesmo fazia enquanto estava na terra.
ARREPENDEI-VOS, E CADA UM DE VÓS SEJA BATIZADO. O arrependimento, o perdão dos pecados e o batismo são condições prévias para o recebimento do dom
do ESPÍRITO SANTO. Mesmo assim, o batismo em água antes do recebimento da promessa do Pai (cf. 1.4,8) não deve ser tido como condição prévia absoluta para a plenitude
do ESPÍRITO SANTO; assim como o batismo no ESPÍRITO não é uma conseqüência automática do batismo em água.
(1) Na situação em apreço, Pedro exigiu o batismo em água antes do recebimento da promessa, porque na mente dos seus ouvintes judaicos, o rito do batismo era pressuposto como parte de qualquer decisão de conversão. O batismo em água, contudo, não precedeu o batismo no ESPÍRITO nas ocasiões registradas em 9.17,18 (o apóstolo Paulo) e 10.44-48 (os da casa de Cornélio).
(2) Cada crente, depois de se arrepender dos seus pecados e de aceitar JESUS CRISTO pela fé, deve receber (2.38; cf. Gl 3.14) o batismo pessoal no ESPÍRITO. Vemos no livro de Atos o dom do ESPÍRITO SANTO sendo conscientemente desejado, buscado e recebido (1.4,14; 4.31; 8.14-17; 19.2-6); a única exceção possível à regra, no NT, foi o caso de Cornélio (10.44-48). Daí, o batismo no ESPÍRITO não deve ser considerado um dom automaticamente concedido ao crente em CRISTO.
A VÓS, A VOSSOS FILHOS E A TODOS. A promessa do batismo no ESPÍRITO SANTO não foi apenas para aqueles presentes no dia de Pentecoste (v.4), mas também
para todos os que cressem em CRISTO durante toda esta era: a vós os ouvintes de Pedro; a vossos filhos à geração seguinte; à todos os que estão longe à terceira geração e
às subseqüentes.
(1) O batismo no ESPÍRITO SANTO com o poder que o acompanha, não foi uma ocorrência isolada, sem repetição, na história da igreja. Não cessou com o Pentecoste (cf. v. 38; 8.15; 9.17; 10.44-46; 19.6), nem com o fim da era apostólica.
(2) É o direito mediante o novo nascimento de todo cristão buscar, esperar e experimentar o mesmo batismo no ESPÍRITO que foi prometido e concedido aos cristãos do NT (1.4,8; Jl 2.28; Mt 3.11; Lc 24.49).
DESTA GERAÇÃO PERVERSA. Ninguém, pode ser salvo, se não abandonar a perversidade e a corrupção da sociedade contemporânea (cf. Lc 9.41; 11.29; 17.25; Fp
2.15). Todos os novos crentes devem ser ensinados a romper com todas as más companhias, renunciar o mundo ímpio, unir-se com CRISTO e seu povo e dedicar-se à obra
de DEUS (2 Co 6.14,17).


SINAIS DOS CRENTES (BEP EM CD - CPAD)
Mc 16.17,18: “E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão”.

As Escrituras ensinam claramente que CRISTO quer que seus seguidores operem milagres ao anunciarem o evangelho do reino de DEUS (ver Mt 10.1; Mc 3.14,15; Lc 9.2; 10.17; Jo 14.12).
(1) Estes sinais (gr. semeion), realizados pelos discípulos verdadeiros, confirmam que a mensagem do evangelho é genuína, que o reino de DEUS
chegou à terra com poder e que o Senhor JESUS vivo e ressurreto está presente entre os seus, operando através deles (ver Jo 10.25; At 10.38).
(2) Cada um destes sinais (exceto a ingestão de veneno) ocorreu na igreja primitiva: (a) falar novas línguas (ver At 2.4; 10.46; 19.6; 1Co 12.30; 14; ver o estudo O FALAR EM LÍNGUAS); (b) expulsar demônios (At 5.15,16; 16.18; 19.11,12); (c) escapar da morte por picada de serpente (At 28.3-5); e (d) curar os enfermos (At 3.1-7; 8.7; 9.33,34; 14.8-10; 28.7,8).
(3) Essas manifestações espirituais devem continuar na igreja até a volta de JESUS. Conforme vemos nas Escrituras, esses sinais não foram limitados ao período que se seguiu à ascensão de JESUS (ver 1Co 1.7; Gl 3.5).
(4) Os discípulos de CRISTO não somente deviam pregar o evangelho do reino e levar a salvação àqueles que crêem (Mt 28.19,20; Mc 16.15,16; Lc 24.47), mas também concretizar o reino de DEUS, como fez JESUS (At 10.38) ao expulsar demônios e curar doenças e enfermidades.
(5) JESUS deixa claro, em Mc 16.15-20, que esses sinais não são dons especiais para apenas alguns crentes, mas que seriam concedidos a todos os crentes que, em obediência a CRISTO, dão testemunho do evangelho e reivindicam as suas promessas.
(6) A ausência desses “sinais” na igreja, hoje, não significa que CRISTO falhou no cumprimento de suas promessas. A falta, conforme JESUS declara, está na vida dos seus seguidores (ver Mt 17.17).
(7) CRISTO prometeu que sua autoridade, poder e presença nos acompanharão à medida que lutarmos contra o reino de Satanás (Mt 28.18-20; Lc 24.47-49). Devemos libertar o povo do cativeiro do pecado pela pregação do evangelho, mediante uma vida de retidão (Mt 6.33; Rm 6.13; 14.17) e pela operação de sinais e milagres através do poder do ESPÍRITO SANTO (ver Mt 10.1; Mc 16.16-20; At 4.31-33).
 
O FALAR EM LÍNGUAS (BEP EM CD - CPAD)
At 2.4 “E todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO e começaram a falar em outras línguas, conforme o ESPÍRITO SANTO lhes concedia que falassem.”

O falar noutras línguas, ou a glossolália (gr. glossais lalo), era entre os crentes do NT, um sinal da parte de DEUS para evidenciar o batismo no ESPÍRITO SANTO (ver 2.4; 10.45-47; 19.6). Esse padrão bíblico para o viver na plenitude do ESPÍRITO continua o mesmo para os dias de hoje.

O VERDADEIRO FALAR EM LÍNGUAS. (1) As línguas como manifestação do ESPÍRITO. Falar noutras línguas é uma manifestação sobrenatural do ESPÍRITO SANTO, i.e., uma expressão vocal inspirada pelo ESPÍRITO, mediante a qual o crente fala numa língua (gr. glossa) que nunca aprendeu (2.4; 1Co 14.14,15). Estas línguas podem ser humanas, i.e., atualmente faladas (2.6), ou desconhecidas na terra (cf. 1Co 13.1). Não é “fala extática”, como algumas traduções afirmam, pois a Bíblia nunca se refere à “expressão vocal extática” para referir-se ao falar noutras línguas pelo ESPÍRITO.
(2) Línguas como sinal externo inicial do batismo no ESPÍRITO SANTO. Falar noutras línguas é uma expressão verbal inspirada, mediante a qual o espírito do crente e o ESPÍRITO SANTO se unem no louvor e/ou profecia. Desde o início, DEUS vinculou o falar noutras línguas ao batismo no ESPÍRITO SANTO (2.4), de modo que os primeiros 120 crentes no dia do Pentecoste, e os demais batizados a partir de então, tivessem uma confirmação física de que realmente receberam o batismo no ESPÍRITO SANTO (cf. 10.45,46). Desse modo, essa experiência podia ser comprovada quanto a tempo e local de recebimento. No decurso da história da igreja, sempre que as línguas como sinal foram rejeitadas, ou ignoradas, a verdade e a experiência do Pentecoste foram distorcidas, ou totalmente suprimidas.
(3) As línguas como dom. Falar noutras línguas também é descrito como um dos dons concedidos ao crente pelo ESPÍRITO SANTO (1Co 12.4-10). Este dom tem dois propósitos principais: (a) O falar noutras línguas seguido de interpretação, também pelo ESPÍRITO, em culto público, como mensagem verbal à congregação para sua edificação espiritual (1Co 14.5,6,13-17). (b) O falar noutras línguas pelo crente para dirigir-se a DEUS nas suas devoções particulares e, deste modo, edificar sua vida espiritual (1Co 14.4). Significa falar ao nível do espírito (14.2,14), com o propósito de orar (14.2,14,15,28), dar graças (14.16,17) ou cantar (14.15; ver 1Co 14).
 
 
INTERAÇÃO
Prezado professor, na lição de hoje veremos que a inauguração da Igreja deu-se no dia de Pentecostes. Como já é do seu conhecimento, os crentes perseveraram unânimes em oração e súplicas (At 1.14). Após esse período de oração perseverante, todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO, e os crentes passaram a propagar poderosamente o evangelho (At 4.31).
Durante a lição, procure enfatizar que da mesma forma, o ESPÍRITO SANTO quer fazer nestes dias com a Igreja do Senhor que persevera em oração e jejum. Oremos, crendo que DEUS ouvirá e atenderá as nossas súplicas.
 
OBJETIVOS
Explicar como se deu o início da Igreja cristã.
Compreender que a oração perseverante resultou na atuação poderosa do ESPÍRITO SANTO.
Conscientizar-se de que o ESPÍRITO SANTO reveste a Igreja de poder para a disseminação do evangelho.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Providencie algumas cópias do quadro abaixo para os alunos. Utilize as cópias ao introduzir o Tópico II. Mostre o quadro aos alunos, e explique a proporção que o evangelho alcançou após o derramamento do ESPÍRITO SANTO. Ressalte que as principais nações do primeiro século estavam presentes na festa de Pentecostes através dos judeus dispersos (Roma, países da Ásia, Egito, etc.). Eles estavam entre as quase três mil almas que o Senhor acrescentou à sua igreja.
Conclua, explicando que por meio da oração DEUS quer revestir os seus filhos com poder para anunciar o evangelho em todo o mundo, cumprindo a Grande Comissão.
 
 
 
 
 
RESUMO DA LIÇÃO 7, A ORAÇÃO DA IGREJA E O
TRABALHO DO ESPÍRITO SANTO
COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO
A Igreja foi instituída no dia de Pentecostes, e sua formação inicial deu-se pelo derramamento do ESPÍRITO SANTO. A característica principal da Igreja Primitiva era a poderosa atuação do ESPÍRITO, resultante da oração perseverante da comunidade cristã em Jerusalém. Após o Pentecostes, a Igreja passou a propagar poderosamente o evangelho (At 2.47).
I. O INÍCIO DA IGREJA CRISTÃ
1. Derramamento do ESPÍRITO.
2. Preparação para o serviço do Reino.
3. Evidências da ação do ESPÍRITO SANTO.
II. A DISSEMINAÇÃO DA PALAVRA
1. O ESPÍRITO SANTO prepara pregadores.
2. O ESPÍRITO concede intrepidez.
3. Escolhendo e enviando homens para a obra missionária (At 13.1-5).
III. O ESPÍRITO E O CRESCIMENTO DA IGREJA
1. A igreja cresce (At 2.41,47).
2. Crescimento x Perseguição.
3. A integridade da igreja.
CONCLUSÃO
Quando o crente tem uma vida de oração e se dispõe a ser um intercessor, não somente suas necessidades são supridas, mas também as do Corpo de CRISTO são atendidas. A respeito do batismo no ESPÍRITO SANTO, o servo de DEUS deve buscar perseverantemente em oração, crendo que DEUS atenderá as suas súplicas e o revestirá de poder.
 
SINÓPSE DO TÓPICO (3)
Não é a capacidade humana que faz a Igreja do Senhor crescer, mas é a ação e o poder do ESPÍRITO SANTO.
SINÓPSE DO TÓPICO (1)
O início da igreja cristã foi marcado pelo derramamento do ESPÍRITO SANTO.
SINÓPSE DO TÓPICO (2)
O ESPÍRITO SANTO prepara pregadores, concede intrepidez, escolhe e envia homens para a disseminação da Palavra de DEUS no mundo..
 
  
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I Subsídio Histórico Cultural
“Cumprindo-se o dia de Pentecoste... (2.1). Esta festa acontecia 50 dias depois da Páscoa, e marcava o final da colheita de grãos. A idéia era que fosse como uma festa de ação de graças, marcada pela oferta de sacrifícios e a doação de contribuições voluntárias da colheita recente (cf. Lv 23.15-22; Nm 28.26-31; Dt 16.9-12). O Pentecostes era uma das três ‘festas de peregrinos’ a que os homens adultos de Israel deviam comparecer. Na tradição rabínica, o Pentecostes também marcava a data em que DEUS entregou a Lei a Moisés. Não é de admirar que muitos milhares de peregrinos que vinham dos judeus espalhados por todo o império romano e pelo oriente estivessem presentes para este, o mais significativo de todos os Pentecostes!
Textos rabínicos relatam que aproximadamente 12 milhões de pessoas reuniam-se para celebrar a Páscoa. Josefo estima que fossem 3 milhões. Estes números são elevados, considerando a área dentro e ao redor de Jerusalém. Mas fica claro que a população da cidade de cerca de 55.000 pessoas no século I era dobrada ou triplicada pelos visitantes, dos quais muitos vinham para a Páscoa e permaneciam até Pentecostes.
A referência de Lucas às terras nativas das quais vinham muitos dos peregrinos judeus (2.8-11) está em completa harmonia com o que conhecemos da diáspora judaica do século I” (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1. ed.
VOCABULÁRIO
Intrepidez: Ausência de temor, coragem, ousadia.
Suscitar: Fazer nascer ou aparecer, criar.
Diáspora: Dispersão dos judeus, no decorrer do século I.
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
PEARLMAN, Myer. Atos: E a Igreja se Fez Missões. 1.ed. Rio de Janeiro, CPAD, 2006.
HORTON, Stanley. A Doutrina do ESPÍRITO SANTO. 1. ed. Rio SAIBA MAIS
de Janeiro, CPAD, 2001. Revista Ensinador Cristão
CPAD, nº 44, p.39.
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 7, A ORAÇÃO DA IGREJA E O TRABALHO DO ESPÍRITO SANTO
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 4º TRIMESTRE DE 2010
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas.
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
“E perseveravam na __doutrina__ dos apóstolos, e na __comunhão__, e no partir do pão, e nas __orações__” (At 2.42).
 
VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
A expansão contínua do __evangelho__ completo é um distintivo da __igreja__ que não se descuida da __oração__.

COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO
3- Quando foi a Igreja instituída?
(    ) No dia de Pentecostes, e sua formação inicial deu-se pelo derramamento do ESPÍRITO SANTO.
 
4- Qual era a característica principal da Igreja Primitiva?
(    ) Era a poderosa atuação do ESPÍRITO, resultante da oração perseverante da comunidade cristã em Jerusalém.
(    ) Após o Pentecostes, a Igreja passou a propagar poderosamente o evangelho (At 2.47).

I. O INÍCIO DA IGREJA CRISTÃ
5- Como foi a inauguração do Derramamento do ESPÍRITO SANTO no dia de Pentecostes?
(    ) O ESPÍRITO SANTO encheu a todos os que se encontravam unânimes orando no cenáculo, em Jerusalém, como o Senhor JESUS havia determinado (At 1.4,12-14).
 
6- Quais as condições para o recebimento do batismo no ESPÍRITO SANTO (At 5.32)?
(    ) A obediência ao Senhor (At 5.32).
(    ) Toda igreja, que se propõe a orar em busca do revestimento do ESPÍRITO SANTO, será abençoada com a resposta divina da mesma maneira que aquela dos primeiros dias.

7- Como é a preparação do ESPÍRITO SANTO para o serviço do Reino? Complete:
O Senhor __enche__ o crente do seu SANTO ESPÍRITO, equipando-o para o serviço do Reino de DEUS. O ESPÍRITO SANTO não está subordinado a nenhum __capricho__ humano, pois Ele é DEUS e, como tal, é o Senhor da Igreja (At 13.1,2). Um crente, pelo fato de ser batizado no ESPÍRITO SANTO não tem __permissão__ para realizar missão alguma na igreja sem a direção do ESPÍRITO (1 Co 12.11).
 
8- Em que o crente maduro espiritualmente tem sua vida pautada?
(    ) Na Palavra de DEUS e direcionado pelo ESPÍRITO SANTO (1 Jo 3.22) ele está apto para realizar todo o serviço em prol do Reino.

9- Cite evidências da ação do ESPÍRITO SANTO no dia do Pentecostes. Complete:
Estando os discípulos reunidos após o dia de Pentecostes, veio do céu um som como de um __vento__ veemente e impetuoso e encheu toda a casa. Todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO, ouviu-se manifestações __sobrenaturais__ (audíveis e visíveis) nunca antes experimentadas (At 2.1-4). O batismo no ESPÍRITO SANTO e as manifestações espirituais são o cumprimento das promessas de DEUS proferidas pelo profeta __Joel__ (Jl 2.28). A fé dos discípulos estava alicerçada na promessa divina, que agora se cumpria através de suas __orações__. Quando o ESPÍRITO de DEUS age no meio do seu povo com manifestações sobrenaturais, Ele suscita o santo e reverente __temor__, despertando a __coragem__, a ousadia e maior desempenho no trabalho do Senhor (At 4.31).

II. A DISSEMINAÇÃO DA PALAVRA
10- De que maneira o ESPÍRITO SANTO prepara pregadores? Complete:
Na vida de Pedro (At 2.41) - Após a descida do ESPÍRITO SANTO, Pedro cheio do ESPÍRITO colocou-se de pé, levantou a sua voz e falou __corajosamente__ do genuíno evangelho. Naquele dia agregaram-se quase __três__ mil almas ao Reino dos céus .
Na vida de Estêvão (At 6.3,5,8) - Foi cheio de conhecimento, fé e __poder__.
Na vida de Filipe e outros (At 8.6-8) - foram __preparados__ pelo SANTO ESPÍRITO.
 
11- Esse mesmo ESPÍRITO continua a capacitar homens e mulheres para a obra da evangelização, do ensino e da literatura, a fim de proporcionar a expansão do Reino de DEUS. O que a igreja deve fazer para que o Senhor a enriqueça com obreiros aprovados, que manejam bem a Palavra da Verdade (2 Tm 2.15) e sejam irrepreensíveis (1 Tm 3.1-13)?
(    ) A igreja deve orar sem cessar.

12- O ESPÍRITO concede intrepidez e isso ocorre quando a igreja ora com determinação. Dê exemplo disso. complete:
A autoridade com que os apóstolos expunham a Palavra de DEUS e o seu poder de __persuasão__ são virtudes que somente o ESPÍRITO SANTO pode conceder. Tomemos como exemplo a história de Pedro, compare seu __comportamento__ antes do dia de Pentecostes e após a sua excelente e maravilhosa transformação ocorrida depois daquele dia. Estêvão pregava a Palavra diante dos seus __opositores__ com destemor e muita autoridade divina (At 7.1-60). Da mesma forma, o ESPÍRITO SANTO quer fazer nestes dias com a igreja que __perseverar__ em oração e __jejum__ diante dEle.

13- Como o ESPÍRITO SANTO escolheu e enviou homens para a obra missionária (At 13.1-5)?
(    ) A descida do ESPÍRITO SANTO no dia de Pentecostes é o acontecimento impulsor da obra missionária da igreja.
(    ) A missão atingiria em pouco tempo a escala mundial, visto que naquele dia estavam em Jerusalém pessoas de dezesseis nacionalidades (At 2.5,9-11).
(    ) JESUS disse aos discípulos que, capacitados pelo poder do ESPÍRITO SANTO, seriam suas testemunhas até aos confins da terra (At 1.8).

III. O ESPÍRITO E O CRESCIMENTO DA IGREJA
14- De que forma a igreja cresce (At 2.41,47)?
(    ) Não é a capacidade do homem que faz a Igreja do Senhor crescer, mas a unção e a autoridade do ESPÍRITO SANTO operando através de seus instrumentos humanos.
(    ) Todo crente, para exercer qualquer atividade no Reino de DEUS, necessita depender do ESPÍRITO SANTO mediante a oração (Cl 4.2,3,12).
(    ) Não são os líderes que tornam a igreja poderosa nas suas ações, mas a oração da igreja com um propósito unânime (At 1.14; 2.46,47).

15- Apesar da perseguição a igreja crescia. De que maneira isso acontecia?
Após o __revestimento__ de poder, os discípulos estavam prontos para executarem a ordem de JESUS, registrada no Evangelho de Marcos 16.15. Os discípulos, agora destemidos, não mais se __escondiam__ em casas, com portas cerradas.
Pelo contrário, com __ousadia__ e intrepidez anunciavam o evangelho. Foi em meio à __perseguição__ que a igreja teve o seu início, cresceu e continuou crescendo. Em meio a essas adversidades, a igreja continuava __orando__, como em Atos 12.1-17.

16- Quanto à integridade da igreja, complete:
Lucas declara que, tendo a igreja __orado__, todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO (At 4.31).
O predomínio do ESPÍRITO SANTO no crente leva-o a ser __generoso__ e solidário (At 2.44-46; 4.32-35).
 
17- Neste ambiente abençoado, propício e promissor, o que surge de problema para tentar atrapalhar a comunhão da igreja? Complete:
Ananias e Safira, um casal da igreja que não tinha nenhuma obrigação de vender sua propriedade (At 5.1-4), como fez __Barnabé__, e nem entregar na igreja todo o valor da venda. Ambos tinham apenas o dever de serem __unânimes__ como os demais (At 1.14; 2.46; 4.24; 5.12).
 
18- Por meio de que Pedro percebeu toda a mentira de Ananias e Safira e veio um repentino juízo divino sobre o casal?
(    ) Por meio do dom de discernimento do ESPÍRITO.
(    ) Quando a igreja está orando (At 4.31), DEUS aniquila os problemas que podem enfraquecê-la.

CONCLUSÃO
19- Complete:
Quando o crente tem uma vida de __oração__ e se dispõe a ser um __intercessor__, não somente suas necessidades são supridas, mas também as do Corpo de CRISTO são atendidas.
A respeito do batismo no ESPÍRITO SANTO, o servo de DEUS deve __buscar__ perseverantemente em oração, crendo que DEUS atenderá as suas súplicas e o revestirá de __poder__.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário